Home Notícias BH Insatisfeito com o transporte público, jovem cria site para usuários reclamarem dos coletivos em BH

Insatisfeito com o transporte público, jovem cria site para usuários reclamarem dos coletivos em BH

O programador Luiz Felipe Pedone, de 26 anos, utiliza diariamente o transporte público de Belo Horizonte. Pensando em cada uma das longas horas de espera nos pontos, nas solicitações não atendidas, junto à BHTrans,  nos transtornos causados por falhas na mobilidade urbana da Capital, ele teve a ideia de criar uma “central de atendimento” na qual o usuário pudesse reclamar, desabafar e alcançar uma resposta positiva para seus questionamentos.

A partir daí surgiu o “Não Move”, um espaço onde usuários podem publicar e compartilhar suas reclamações sobre os coletivos e o metrô de Belo Horizonte. Luiz Felipe contou a equipe do Portal Bhaz que a ideia surgiu no último feriado de Sexta-feira da Paixão (18), durante a Semana Santa deste ano. “Eu estava indo para a casa da minha namorada. Tanto na ida, quanto na volta, cheguei a esperar uma hora até um coletivo passar. No mesmo ponto, tinha outro passageiro que também reclamava da demora. Falei que ia reclamar na BHTrans e ele disse que não daria em nada. A partir de então, surgiu a ideia de fazer algo mais amplo, para que todos os usuários do transporte pudessem dar suas opiniões, na tentativa de de obter uma resposta por parte da companhia de trânsito. Foi ai que eu criei tudo.”, afirmou.

Foto: Reprodução/Não Move
Foto: Reprodução/Não Move

O site funciona da seguinte forma. Um usuário entra, cadastra o nome e um e-mail, que não será divulgado, além do número da linha de ônibus da qual deseja reclamar e o motivo da insatisfação. Ainda há um espaço disponibilizado para a pessoa contar a sua história. A medida que as reclamações são registradas, estatísticas são feitas e os usuários podem conferir quais são as linhas que mais dão “dor de cabeça”. Os coletivos 5201 (Dona Clara/Buritis), 9209 (Sagrada Família/Gutierrez) e 4110 (Dom Cabral/Belvedere) são os que mais receberam reclamações até o momento.

O site também registra quais são as críticas mais comuns. “Desrespeito com o usuário”, “atraso” e “superlotação” são as principais contestações. “Ônibus não parou no ponto” e “itinerário não foi respeitado” também aparecem na lista.

Foto: Reprodução/Não Move
Foto: Reprodução/Não Move

“No dia 14/04 o ônibus SE01 que sai da Cidade Administrativa com destino a savassi deveria passar as 18:30 (último horáio). Entretanto ele passou as 18:40 indo para a garagem, e novamente outro passou as 19:00, também indo para garagem. Como o ponto da Cidade Administrativa é o primeiro, é possível ver os ônibus chegando e esperando no local de “bater ponto” para marcar horario de início e fim do itinerário. Ambos os ônibus ficaram no mínimo 15 minutos parado nesse “ponto”, só saindo quando o horario já era o de voltar para a garagem, dando a impressão que estavam apenas esperando este horario para sair. A Cidade Administrativa é longe e após as 18:30 não passa quase nenhum ônibus, ficando muito difícil fazer um trajeto que deixe perto do destino correto do usuário.”, diz uma das reclamações registradas no site.

O programador pretende, até o final desta semana, incorporar, também, as linhas metropolitanas, abrangendo as opções para que o publico possa manifestar a insatisfação. “Acho que o Move, do jeito que foi feito em BH, não será eficaz.”, disse. “O sistema BRT é uma ótima ideia e teria tudo para dar certo, mas como abrange apenas três corredores principais em Belo Horizonte, não irá atender a toda a população.”, concluiu.

Além do site, o “Não Move” também possui uma página no Facebook, Twitter e no Google +.

Comentários

Carregar mais em BH