Home Notícias Brasil Promotor sobre desembargadora: ‘Pela carinha, quando for demitida, poderá fazer faxina em casa’

Promotor sobre desembargadora: ‘Pela carinha, quando for demitida, poderá fazer faxina em casa’

O promotor de Justiça de São Paulo Rogério Zagallo causou polêmica em um comentário realizado no domingo (8) no Facebook. Em um post do advogado Caio Arantes sobre o suposto envolvimento de uma desembargadora do Tribunal de Justiça do Amazonas com a facção Família do Norte, o promotor disparou: “Pela carinha, quando for demitida poderá fazer faxina em casa. Pago R$ 50,00 a diária”.

O comentário foi feito contra a desembargadora Encarnação das Graças Salgado e o caso será investigado pelo Ministério Público de São Paulo. Zagallo defende-se dizendo que ‘a maldade está no ouvido (ou nos olhos) e não na boca (ou na caneta)’.

(Reprodução)

“Por ‘carinha’, eu quis me referir ao comportamento dela, que foi afastada porque teria comprometimento com o crime, e à função dela, que, apesar ser extremamente nobre, naquela condição [a de quem faria faxina a R$ 50], seria vexatória. É como se ela estivesse descendo da condição de desembargadora para fazer um serviço de faxina –que, para ela, seria uma derrocada”, completou em entrevista ao UOL.

Polêmicas

Não é a primeira vez que o promotor se envolve em polêmicas pelos seus comentários em redes sociais.

Em 2013, Zagallo fez uma publicação em seu Facebook sobre o Movimento Passe Livre que lhe rendeu a demissão da universidade na qual trabalhava:

“Estou há duas horas tentando voltar para casa mas tem um bando de bugios revoltados parando a Avenida Faria Lima e a Marginal Pinheiros. Por favor, alguém poderia avisar a Tropa de Choque que essa região faz parte do meu Tribunal do Júri e que se eles matarem esses filhos da puta eu arquivarei o inquérito policial. Petistas de merda. Filhos da puta. Vão fazer protesto na puta que os pario… Que saudade da época em que esse tipo de coisa era resolvida com bala de borracha nas costas dos merdas…”, disse, à época.

Em 2014, ele foi suspenso por 15 dias por ter postado uma mensagem considerada ofensiva pelo Conselho Nacional do Ministério Público.

Zagallo, promotor titular do 5º Tribunal do Júri de São Paulo, é o responsável por representar a sociedade em casos de crimes contra a vida.

Comentários

Rodrigo Salgado

Rodrigo Salgado é jornalista e redator no Portal Bhaz.

Carregar mais em Brasil