Home Notícias Política Coordenador da campanha de Kalil, vereador abre artilharia contra prefeito e alerta sobre impeachment

Coordenador da campanha de Kalil, vereador abre artilharia contra prefeito e alerta sobre impeachment

O vereador Gabriel Azevedo (PHS) abriu artilharia nessa segunda-feira (13) contra a gestão encabeçada pelo correligionário e prefeito de Belo Horizonte, Alexandre Kalil. Ao justificar o voto contrário à proposta de instituir o Fundo Municipal de Esporte e Lazer, de autoria do Executivo, o parlamentar acusou o prefeito de atender a interesses do vice Paulo Lamac (Rede), quem, segundo ele, estaria fazendo da prefeitura “um espaço para nomeações pessoais”.

“Recomendo ao caro prefeito desta cidade que o último Poder Executivo que achou que governava sem o Legislativo foi feito pela senhora Dilma Rousseff [PT]”, disparou, em referência ao impeachment atribuído à falta de diálogo da ex-presidente com o Legislativo. “E digo mais: era o vice que essa senhora tinha escolhido que foi um dos articuladores da sua tragédia”.

Gabriel Azevedo foi coordenador da campanha do então candidato Alexandre Kalil (PHS), em 2016. À época, em texto publicado sobre os passos que levaram a vitória nas urnas do atual prefeito, o vereador chegou a levantar a possibilidade de eventual decepção ao longo do mandato.

“Sou responsável pelos meus atos e sobretudo ciente que não posso permitir essa cidade se arrepender da escolha que fez. Alexandre Kalil, meu amigo, não nos decepcione. É o seu nome em jogo. E o meu também”, diz um trecho do texto.

Em sessão na plenária, Azevedo afirma ainda que Paulo Lamac estaria “sendo responsável por um clima de insatisfação” na Câmara Municipal de Belo Horizonte. “Não vale dizer aos vereadores que os responsáveis pelas regionais serão nomeados após a consulta aos vereadores responsáveis por cada regional e depois, numa canetada, empregar sogra de deputado federal”, declarou. O parlamentar se refere à nomeação da servidora Neusa Maria da Silva Oliveira Fonseca, sogra do deputado federal Gabriel Guimarães (PT), publicada no início do mês no Diário Oficial do Município.

Trecho da edição de 4 de fevereiro último do Diário Oficial do Município

 

Questionado sobre as acusações do vereador Gabriel Azevendo, o vice-prefeito Paulo Lamac preferiu não se posicionar.

Fundo Municipal de Esporte

A fala do vereador Gabriel Azevedo ocorreu após o líder de governo na Câmara, vereador Gilson Reis (PCdoB), pressionar os vereadores a votar pela criação do Fundo Municipal de Esporte e Lazer. Segundo Azevedo, o responsável pela articulação dos vereadores com o Executivo teria afirmado que “observava com atenção a lista de votação”.

Encaminhada pelo Executivo ainda na gestão de Marcio Lacerda, a proposta de instituir o Fundo Municipal de Esporte e Lazer foi rejeitada pela maioria dos vereadores presentes no plenário. A medida previa a criação de um fundo específico, a ser destinado “ao desenvolvimento e efetivação das políticas públicas de esporte e lazer executadas pelo município”.

O argumento que prevaleceu na derrubada do projeto foi a criação de despesas para os cofres públicos no momento de contenção de gastos que as prefeituras estão passando.

Acompanhe o Bhaz também no Youtube assinando nosso canal.

Comentários

Guilherme Scarpellini

Guilherme Scarpellini é redator de política e cidades no Portal Bhaz.

Carregar mais em Política