Home Notícias Brasil Casas Bahia e Ponto Frio agora aceitam smartphones usados como forma de pagamento

Casas Bahia e Ponto Frio agora aceitam smartphones usados como forma de pagamento

smartphones usados

Nesta sexta-feira (17), duas gigantes do varejo no Brasil lançaram um projeto que vai permitir aos consumidores utilizar celulares e tablets usados como parte do pagamento na compra de novos equipamentos. A campanha das Casas Bahia e do Ponto Frio vale para lojas físicas e virtuais.

Pelo menos até março, os clientes poderão levar celulares ou tablets até uma das unidades das redes para trocá-los por descontos em novos equipamentos. A avaliação deve ser feita na hora. O valor estipulado irá variar de acordo com modelo e estado de conservação do aparelho.

Já no caso de compras online pelas Casas Bahia, os consumidores terão que fazer a avaliação dos equipamentos em um site. Após esse processo, será necessário enviar o dispositivo para a rede, que enviará um vale-presente para promover o desconto nas compras pela loja virtual.

Regras

A campanha estipula algumas normas para garantir a utilização do usado na compra de um novo equipamento. “Smartphones e tablets associados a perda e roubo, que não liguem/ativem ou que possuam mecanismo de localização e bloqueio de senha ativos, não serão aprovados. Além disso, a negociação é válida apenas para aparelhos adquiridos no Brasil. Com exceção desses pontos, a rede avaliará todos os equipamentos trazidos, inclusive com telas riscadas ou quebradas”, reforça a Casas Bahia.

Além disso, o valor máximo do desconto que as lojas se propõem a oferecer na compra de um smartphone usado é de R$ 2.200.

Para viabilizar o projeto, Casas Bahia e Ponto Frio fizeram parceria com a multinacional Brightstar – que compra dispositivos de segunda mão ou seminovos. “Medimos o preço de lançamento, o valor no mercado de usados e geramos o nosso valor de compra”, declarou o presidente da companhia, José Froes, em entrevista ao site EXAME.com.

Acompanhe o Bhaz também no Youtube assinando nosso canal.

Comentários

Carregar mais em Brasil