Home Notícias Brasil Padre classifica como ‘vergonhoso’ apoio a Bolsonaro e condena machismo na sociedade

Padre classifica como ‘vergonhoso’ apoio a Bolsonaro e condena machismo na sociedade

padre bolsonaro

O padre Julio Lancellotti fez um sermão marcante durante missa do primeiro domingo (5) de Quaresma, na Capela de São Judas, em São Paulo. O religioso exigiu respeito às minorias, além de ter se posicionado contra o machismo e a homofobia. Ele também se mostrou surpreso com pesquisas que apontam os índices de Jair Bolsonaro (PSC) como possível candidato à Presidência da República.

O vídeo da missa já foi compartilhado mais de 7 mil vezes desde a publicação, no domingo. Na pregação, Lancellotti diz que as pessoas devem livrar a sociedade da misoginia e da homofobia. Ele ainda convoca os fiéis a ajudar os pobres e se manifestar contra as covardias com os “fracos e pequenos”.

Crítica a Bolsonaro

“Numa sociedade como a nossa, eu fico impressionado em aparecer nas pesquisas [presidenciáveis] uma pessoa homofóbica e violenta como Bolsonaro, seguida por tantas pessoas. Isso é vergonhoso!”, disse o padre sobre o deputado federal Jair Bolsonaro (PSC-RJ).

“Alguém que propõe a violência, o extermínio de gays, propõe a homofobia. Propõe, como alguns católicos, que o homem é mais importante que a mulher, que ele vale mais e ela deva ser submissa”, completou.

O deputado, por sua vez, rebateu as críticas do padre. Nesta terça-feira, o parlamentar publicou um vídeo no Facebook em que acusa o religioso de “blasfêmia”.

Ele ainda alega que Lancellotti foi “acusado de pedofilia, além de ser militante do PT”. Porém o casal autor da queixa contra o religioso foi condenado e preso por extorsão em 2011, segundo matéria do O Globo. O juiz responsável pelo caso chegou a receber imagens que mostram que o padre sendo chantageado e ameaçado pelos denunciantes.

Meu corpo, minhas regras

Ao abordar o machismo, o padre comentou sobre “mudar a cabeça” para que não aja mais a cultura do estupro. “Nossos jovens tem que tomar cuidado com as redes sociais, de usarem as redes sociais para os meninos dizerem que usaram as meninas, e colocarem elas em situações difíceis. Isso é inaceitável e é crime”, firmou o religioso.

“Nós temos que fazer essas mudanças, temos que dizer para os meninos que o corpo das meninas é tão sagrado quanto o corpo de todos e não pode ser tocado sem que ela aceite ou queira”, completou.

Respeito às mulheres e o moralismo

Com a proximidade do Dia Internacional da Mulher, Lancellotti também aproveitou para pregar a questão da equidade entre os gêneros. “Para celebrar o Dia da Mulher, não basta dizer parabéns. Você tem que ser alguém que mude a forma de pensar, a maneira de educar, em que os meninos não pensem que são mais fortes que as meninas, e que os meninos não mandem nas meninas. Meninos e meninas são dignos em imagem e semelhança de Deus”, disse.

Ele ainda criticou o moralismo e a sociedade machista. “Nós vivemos num mundo em que um homem tiver uma mulher 40 anos mais jovem é elogio para o homem; mas se uma mulher tiver um homem 40 anos mais novo, ela é anormal. Isso é cultura machista!”, afirmou o padre.

Comentários

Carregar mais em Brasil