Home Notícias Política Temer ignora manifestações e diz que ‘reforma é caminho para salvar Previdência do colapso’

Temer ignora manifestações e diz que ‘reforma é caminho para salvar Previdência do colapso’

Em um dia marcado por manifestações contra a proposta da Reforma da Previdência Brasil afora, o presidente Michel Temer (PMDB) ignorou o clamor popular e afirmou em discurso durante evento com empresários e servidores que o projeto “é caminho para salvar Previdência do colapso”.

O presidente ainda afirmou que a proposta de reforma apresentada pelo governo federal evitará que o Brasil siga o caminho de outros países que, por não se prevenirem dos gastos excessivos com as aposentadorias, tiveram de fazer cortes de grandes proporções, chegando inclusive a cortes de salários de pessoas na ativa e aposentados.

“Não queremos que o Brasil tenha de fazer o que fez Portugal, ou seja, cortar salário de pessoas na ativa e de aposentados, ao mesmo tempo em que elevava a idade mínima para 66 anos e eliminava o décimo terceiro salário”, disse.

Segundo o presidente, a proposta representa um “caminho para salvar a previdência do colapso e para salvar os benefícios dos aposentados de hoje e dos jovens que se aposentarão amanhã”.

“Nós demos rumo seguro às contas públicas com o teto de gastos, imunizando o Brasil do populismo fiscal”, acrescentou Temer durante cerimônia de lançamento do projeto Senhor Orientador, do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), no Centro Cultural Banco do Brasil de Brasília.

“Com toda franqueza tenho feito distinção entre medidas populistas e medidas populares. As populistas são feitas de uma maneira irresponsável. Têm efeito imediato, aparentemente cheia de aplausos, para logo depois se revelar um desastre absoluto. As populares não. Elas não têm o aplauso imediato mas têm o reconhecimento posterior”, afirmou.

Com Agência Brasil

Acompanhe o Bhaz também no Youtube assinando nosso canal.

Comentários

Rodrigo Salgado

Rodrigo Salgado é jornalista e redator no Portal Bhaz.

Carregar mais em Política