Home Notícias BH Fim de semana deve ser de chuva em BH; Outono começa na segunda-feira

Fim de semana deve ser de chuva em BH; Outono começa na segunda-feira

Quem vê o céu ensolarado e sente o calorão pelas ruas de Belo Horizonte nesta sexta-feira (17) nem imagina que o fim de semana pode ser de chuva. A previsão do tempo aponta que a capital deve ter pancadas rápidas e não significativas. Apesar disso, é preciso atenção para evitar surpresas. Segundo o meteorologista Dayan Diniz de Carvalho, da Coordenadoria de Defesa Civil Municipal, a probabilidade é de que as chuvas ocorram com mais intensidade no domingo (19) e na segunda-feira (20). No sábado (18) pode chover também, mas a possibilidade é menor.

Ao Bhaz, o especialista contou que uma frente fria modesta se aproxima de Minas Gerais e que é a responsável pela alteração do tempo nos próximos dias. “Com a proximidade do fechamento do verão, as chuvas ficam mais fracas e pontuais”, disse. “No sábado há uma mudança de condição climática e a possibilidade de chover é maior no domingo e na segunda-feira”, conta.

Tempo deve fechar em BH no fim de semana
Bhaz

Ainda segundo Carvalho, as temperaturas devem ter um leve queda a partir do final de semana. Ele explica que os termômetros devem marcar cerca de 4ºC a menos do que nos últimos dias. “Hoje a região da Pampulha registrou 30ºC e nos próximos dias a média deve ficar em torno dos 24ºC”, explica. “A chegada do outono também muda o cenário. É possível que chova durante a estação, mas a ocorrência é bem menor do que no verão. A umidade do ar é mais afetada”, diz.

Os índices de umidade relativa do ar estão na casa dos 30%, o que já é considerado Estado de Alerta pela Organização Mundial de Saúde. A umidade do ar ideal gira em torno de 60%. Quando menor, a condição pode agravar problemas respiratórios e algumas pessoas tendem a ter dores de cabeça, sangramentos no nariz e irritação nos olhos, entre outros sintomas.

A Defesa Civil lista uma série de recomendações para amenizar os efeitos do tempo seco. Veja:

– Beber muita água por dia, água de coco e sucos naturais;

– Preferir alimentos leves e frescos, como saladas, frutas, carnes grelhadas;

– Evitar frituras;

– Dormir em local arejado e umedecido por umidificadores ou colocar uma bacia com água.

– Evitar atividades físicas ao ar livre e exposição ao sol entre as 10 e 17 horas;

– Evitar banhos com água muito quente, pois ressecam ainda mais a pele;

– Em caso de problemas respiratórios procurar um especialista;

– Em caso de incêndio, avise imediatamente, ao Corpo de Bombeiros, Defesa Civil ou a Polícia.

Chegada do outono

O outono começa na segunda-feira (20), às 7h29, horário de Brasília, quando ocorre o equinócio no hemisfério sul. Nessa data, dia e noite terão praticamente a mesma duração. À medida que a estação avança, os dias ficam menores até o início do inverno, em 21 de junho.

“Do ponto de vista astronômico, a característica mais marcante é que, no início do outono, os dias e as noites têm o mesmo comprimento”, explica a pesquisadora Josina Nascimento, do Observatório Nacional. Segundo ela, a inclinação dos raios solares é o motivo para a queda das temperaturas durante o outono.

O outono é considerado uma estação de transição, já que fica entre o verão e o inverno
Divulgação/Agência Brasil

Segundo o Centro de Previsão de Tempo e Estudos Climáticos do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (CPTEC/Inpe), as temperaturas em todo o País devem se manter na média histórica, com exceção da Região Sul, que deve registrar temperaturas mais altas. “O começo do outono ainda é quente, porque o clima está mais relacionado com o verão do que com o inverno. Se chegar uma frente fria, a temperatura cai”, afirma a meteorologista Renata Tedeschi.

Nas regiões Centro-Oeste e Sudeste, na medida em que o outono avança, as chuvas vão diminuindo até que se configure o período da seca. A estação também é época de atenção à prevenção de desastres naturais. Isso porque, com o solo encharcado após meses de chuvas, aumenta o risco de deslizamentos de terra.

“Temos um histórico grande de desastres registrados em março e abril, principalmente. O solo, agora no fim da estação chuvosa, está muito saturado de água, e essa condição favorece a ocorrência de deslizamentos de terra. E, nesses meses, temos chuvas intensas, mesmo que de curta duração, que aumentam o risco de desastres naturais”, afirma Seluchi.

Com Agência Brasil

Comentários

Roberth Costa

Roberth Costa é publicitário, repórter e editor no Bhaz.

Carregar mais em BH