Home Notícias Política De BH a Brasília: Voo fretado por Kalil custou R$ 39 mil aos cofres públicos

De BH a Brasília: Voo fretado por Kalil custou R$ 39 mil aos cofres públicos

A primeira viagem oficial do prefeito Alexandre Kalil (PHS) a Brasília saiu cara ao contribuinte: R$ 39 mil. Esse foi o valor empenhado pela administração municipal no fretamento de aeronave, que transportou o chefe do Executivo, o vice-prefeito Paulo Lamac (Rede) e os secretários Jackson Machado (Saúde) e Fuad Noman Filho (Finanças) à capital federal, em 15 de março último.

Outros R$ 1,7 mil foram despendidos na hospedagem de Kalil e Lamac. Os valores foram publicados no Diário Oficial do Município, no último sábado (8). Questionada, a Prefeitura de Belo Horizonte não informou qual empresa realizou o serviço de transporte até a publicação desta reportagem.

O fretamento de aeronaves pela administração municipal de BH já foi alvo de denúncia do Ministério Público de Minas Gerais. Em 2011, os promotores denunciaram o então prefeito Marcio Lacerda (PSB) por gastar R$ 875,9 mil em 35 viagens aéreas contratadas naquele ano.

Diário Oficial do Município (DOM) de sábado (8)

O valor representa uma média de R$ 22,4 mil por voo — o que corresponde, por exemplo, a 57% do montante contratado pela gestão Alexandre Kalil. Se corrigido para as cotações atuais, o gasto sobe para a média de R$ 34,2 mil – ainda assim, inferior à viagem inaugural do ex-dirigente futebolista.

À época, Lacerda culpou a “insegurança do transporte aéreo brasileiro de passageiros” e os recorrentes transtornos devido à falta de pontualidade dos voos comerciais para as seguidas contratações de aeronaves.

Cotações

Abordada, a assessoria da PBH se limitou a justificar o gasto ao alegar que a reunião com o presidente Michel Temer (PMDB) foi marcada em cima da hora. Cotação realizada pelo Bhaz junto a três empresas de táxi aéreo revela que o serviço contratado pela gestão Kalil poderia ter saído mais barato – mesmo reservada de um dia para o outro.

A Via Aérea, com sede na capital mineira, oferece o mesmo trajeto por R$ 18,9 mil. Caso o mandatário optasse pela Just In Air Taxi Aéreo, entretanto, a viagem sairia ainda mais em conta: R$ 16 mil. Os valores levantados são relativos a jatos executivos com capacidade de até oito passageiros.

Se os membros do Executivo municipal tivessem optado por uma viagem em voo comercial, com destino a Brasília nesta terça-feira (11), encontrariam tarifas de R$ 4,8 mil a R$ 16 mil com trechos de ida e volta para os quatro passageiros.

No outro extremo, caso a empresa escolhida fosse a Lider Aviação — uma das maiores de táxi aéreo da América Latina, com sede na capital mineira — o trajeto sairia por R$ 45,7 mil. A empresa oferece refeições e um “kit de leitura nacional e internacional” para os passageiros.

Capital federal

Kalil esteve em Brasília em 15 de março último para tratar de interesses do município. Na ocasião, ele se reuniu com o presidente Michel Temer e, após o encontro, publicou nas redes sociais que cobrou a reabertura do Aeroporto da Pampulha para voos comerciais e investimentos para a saúde pública do município.

Horas depois, o gestor usou mais uma vez as redes sociais para informar o resultado de reunião com o ministro Ricardo Barros (Saúde) e deputados federais: obtenção de recursos para ativar 100% da capacidade de atendimento do Hospital do Barreiro.

Comentários

Guilherme Scarpellini

Guilherme Scarpellini é redator de política e cidades no Portal Bhaz.

Carregar mais em Política