Home Notícias Minas Gerais Dique Denúncia resulta média de 62 prisões ao dia em Minas

Dique Denúncia resulta média de 62 prisões ao dia em Minas

Queixas registradas pelo 181 — o chamado Disque Denúncia — resultaram em uma média de 62 prisões ao dia entre janeiro e fevereiro de 2017. Esse número corresponde a 14% do total de detenções realizadas por meio do serviço ao longo do ano passado, conforme aponta levantamento divulgado nesta terça-feira (11) pela Agência Minas.

Além disso, as denúncias anônimas levaram a apreensão de 728 kg de drogas e de 748 armas neste mesmo período. Ainda segundo o levantamento, a capital mineira registrou o maior número de chamadas pelo Disque Denúncia no ano passado, representado 21% do total de 6,9 mil ligações.

“O sucesso do Disque Denúncia deve-se à integração entre as instituições policiais e Corpo de Bombeiros, em parceria com uma instituição sem fins lucrativos que é o Minas pela Paz. Esta parceria e esta integração ajudam a população a fazer a denúncia e cooperar para um ambiente de paz na nossa sociedade”, avalia o subsecretário de Integração da Secretaria de Segurança Pública, Marcelo Vladimir Corrêa.

Se considerado o período de janeiro de 2016 e fevereiro de 2017, mais de 27 mil pessoas foram presas ou recapturadas e quase quatro toneladas de drogas foram apreendidas. Desde o início do serviço, em 2009, os números são ainda mais notórios: mais de 139 mil pessoas presas e 31 toneladas de drogas retiradas de circulação.

Tráfico de drogas

De acordo com os dados apresentados, o tráfico de drogas é o principal crime relatado pelos cidadãos. Em 2016, das 83.069 denúncias, 59% foram referentes a este tipo de crime. Em segundo lugar estão denúncias ligadas a crimes ambientais, seguidas por denúncias relativas a atividades de bombeiros (vistorias de fiscalização, em sua grande maioria).

Desde a criação do serviço, em 2009, o tráfico de drogas lidera as denúncias — 411.611 ao longo de nove anos. Se considerado somente o período do ano passado, três toneladas de drogas foram apreendidas durante as investigações desencadeadas por meio de denúncias realizadas ao 181.

Ao longo dos anos de programa foram mais de 31 toneladas de ilícitos que foram interceptados antes de chegarem à população. Maconha, crack e cocaína lideram as apreensões.

“Há dez anos, o Minas pela Paz propôs um Disque Denúncia unificando as informações para as polícias e Corpo de Bombeiros do Estado. O Governo aderiu prontamente e a população se engajou de forma exemplar. Essa atuação conjunta tem gerado resultados significativos para a sociedade”, destaca o gestor do Minas pela Paz, Maurílio Pedrosa.

20 segundos

Quando o telefone chama na central, o tempo médio de espera do denunciante é de vinte segundos, segundo registra o levantamento. Ao ser atendido, quem faz a denúncia recebe uma senha para acompanhar o andamento das investigações.

O teor das denúncias, então, é repassado a um dos atendentes, registrado e encaminhado para analistas das polícias Civil e Militar e do Corpo de Bombeiros. Esses servidores analisam, classificam e incorporam à denúncia outras informações, quando já existentes em bancos de dados dessas instituições, que também auxiliam na solução do caso.

“As ligações são criptografadas, dando tranquilidade de que o sigilo é absoluto”, explica a delegada e coordenadora do Disque Denúncia pela Polícia Civil, Tatiana Boueri. Esse tratamento dado à informação é um dos fatores da eficiência do serviço, como avalia o coordenador da Polícia Militar no 181 Disque Denúncia, tenente coronel Marcus Aurelius Ribeiro.

Segundo ele, os dados recebidos agregam muito no planejamento de operações policiais, assim como no destacamento do policiamento em diversas cidades mineiras. Já o coordenador do 181 pelo Corpo de Bombeiros, capitão Paulo Montezano, salienta a importância do 181 para a corporação.

“A crescente preocupação do cidadão se reflete no aumento de denúncias de edificações que, em tese, apresentam deficiência nos sistemas de proteção contra incêndio e pânico, possibilitando uma atuação ainda mais direcionada do Corpo de Bombeiros nas atividades preventivas”.

O serviço

Completando 10 anos em novembro próximo, o serviço registrou 83.069 denúncias, em 2016 — uma média 230 chamados ao dia. O Disque Denúncia, porém, não oferece resposta imediata, já que existe um prazo de 90 dias para apurar e responder a denúncia apresentada.

Quando o cidadão precisar de uma resposta rápida, como em casos de flagrante, por exemplo, deve entra em contato direto com as corporações: Polícia Militar (190), Polícia Civil (197) e Corpo de Bombeiros (193).

As denúncias específicas de violência contra idosos, mulheres e pessoas com deficiência também não devem ser feitas pelo 181, mas pelo Disque Direitos Humanos (0800 031 1119). Um serviço gratuito, sigiloso, que também recebe ligações de todo o Estado e funciona de segunda a sexta-feira, das 8h às 22h

Com Agência Minas

Comentários

Guilherme Scarpellini

Guilherme Scarpellini é redator de política e cidades no Portal Bhaz.

Carregar mais em Minas Gerais