Home Notícias Internacional Facebook vai contratar 3 mil pessoas para filtrar conteúdos e barrar violência na rede social

Facebook vai contratar 3 mil pessoas para filtrar conteúdos e barrar violência na rede social

O fundador do Facebook, Mark Zuckerberg, anunciou em seu perfil que a empresa vai contratar três mil pessoas para filtrar os conteúdos violentos na rede social. O grupo vai selecionar funcionários em todo o mundo. Segundo o comunicado, a ação é motivada pelos últimos episódios de assassinatos e suicídios transmitidos ao vivo pelos usuários.

O Facebook conta atualmente com mais de 2 bilhões de pessoas conectadas. Por isso, Mark entende que existe a necessidade de tomar uma ação para conter esses quadros de violência. “Ao longo das últimas semanas, vimos pessoas machucando a si mesmo e aos outros no Facebook. É de partir o coração, e eu estive refletindo sobre como podemos fazer melhor para a nossa comunidade”, escreveu.

Atualmente, a rede social já conta com 4.500 pessoas trabalhando nessa função. O contratado terá de rever os milhões de relatórios que a empresa recebe todas as semanas. O objetivo é melhorar e agilizar o processo de resposta.

“Se vamos construir uma comunidade segura, precisamos responder rapidamente. Estamos trabalhando para fazer com que a denúncia desses vídeos fique mais fácil para que possamos tomar as medidas certas mais cedo”, disse.

Não foi revelada a maneira como essas contratações serão feitas. Confira o pronunciamento do fundador da rede. Abaixo, o discurso traduzido.

Tradução

Ao longo das últimas semanas, vimos pessoas machucando a si mesmo e aos outros no facebook -Em vídeos ao vivo ou publicados depois. É de partir o coração, e eu estive refletindo sobre como podemos fazer melhor para a nossa comunidade.

Se vamos construir uma comunidade segura, precisamos responder rapidamente. Estamos trabalhando para fazer com que a denúncia desses vídeos fique mais fácil para que possamos tomar as medidas certas mais cedo — Isso é responder rapidamente ou identificar quando alguém precisa de ajuda em uma publicação.

Ao longo do próximo ano, estaremos adicionando 3,000 pessoas para nossa equipe de operações da comunidade ao redor do mundo — em cima do 4,500 que já temos hoje — para rever os milhões de relatórios que recebemos todas as semanas, e melhorar o processo para fazê-lo rapidamente.

Estes comentadores também vão ajudar-nos a sermos melhores a remover coisas não permitidas no Facebook como discurso de ódio e exploração infantil. E vamos continuar trabalhando com os grupos da comunidade local e a aplicação da lei que estão em melhor posição para ajudar alguém se preciso — ou porque estão prestes a se ferir, ou porque estão em perigo de outra pessoa.

Além de investir em mais pessoas, também estamos construindo melhores ferramentas para manter a segurança da nossa comunidade. Vamos tornar mais simples o processo para denunciar problemas para nós, deixando mais rápido para nossos revisores determinarem quais publicações violaram os nossos padrões e mais fácil para eles entrar em contato com as autoridades, caso alguém precise de ajuda. Estes dispositivos devem ajudar a tornar a nossa comunidade mais segura.

Isto é importante. Na semana passada, recebemos a informação que alguém estava considerando o suicídio ao vivo. Nós imediatamente estendemos a mão para a aplicação da lei, e eles foram capazes de impedir que ele se machucasse. Em outros casos, não éramos tão afortunados.

Em primeiro lugar, ninguém deve estar nesta situação. Mas se estiverem, então devemos construir uma comunidade segura que as recebe e ajuda aos que necessitam.

 

Comentários

Rafael D'Oliveira

Jornalista e redator do portal Bhaz

Carregar mais em Internacional