Home Colunas Orion Teixeira [Coluna do Orion] Lula tenta politizar depoimento para frear a judicialização da política

[Coluna do Orion] Lula tenta politizar depoimento para frear a judicialização da política

Enquanto seus advogados tentam novo adiamento, o ex-presidente Lula busca politizar o depoimento que dará nesta quarta (10), às 14 horas, ao juiz federal Sérgio Moro, transformando-o em confronto, para neutralizar a bem-sucedida operação que judicializou a política desde março de 2014. Se for bem-sucedido, o petista reduzirá as desvantagens sobre o magistrado que não tem a mesma habilidade no campo político.

Lula tentará provar que tem sido mais vítima de perseguição do juiz do que se defender das acusações de seu eventual envolvimento nas perigosas relações que manteve com empreiteiras envolvidas no esquema de desvios da Petrobras.

Por isso, às vésperas do encontro, a defesa do ex-presidente trava verdadeira queda de braço com Moro. Na segunda-feira (8), entraram com habeas corpus no Tribunal Regional Federal (TRF-4) pedindo mais prazos e adiamento do depoimento, para analisar documentos do processo de mais de 100 mil páginas em que o ex-presidente figura como réu por ter recebido, segundo o Ministério Público, um tríplex no Guarujá supostamente como presente da OAS em troca de três contratos com a Petrobras. A defesa sempre contestou a acusação.

No mesmo dia, os advogados recorreram da decisão de Moro de impedir a gravação do depoimento com uma câmera móvel. De acordo com Sérgio Moro, o ex-presidente quer transformar o interrogatório em um “evento político-partidário”.

Durante todo o dia de ontem (8), a preocupação era com o número de militantes, pró e contra, que iria para as ruas de Curitiba, para acompanhar o depoimento. Após a informação de que milhares de manifestantes viriam de outras cidades e estados para acompanhar o depoimento, a justiça proibiu acampamentos em ruas e praças da capital paranaense das 23h desta 2ª (8.mai.2017) às 23h da 4ª feira (10.mai.2017). Alegando segurança e preservação da ordem pública, a decisão também impede a passagem de pedestres e veículos, exceto cadastrados, nas áreas próximas ao interrogatório.

A Frente Brasil Popular do Paraná, que organiza a manifestação, afirmou que a decisão liminar é uma “forma de criminalização dos movimentos sociais”. Mesmo assim, decidiu manter o ato público.

AMM debate corrupção com prefeitos mineiros

A corrupção envolvendo políticos, o poder público e fornecedores e suas consequências será um dos principais temas do 34º Congresso Mineiro dos Municípios, realizado pela Associação Mineira dos Municípios (AMM) a partir desta terça (9) até 11 de maio, em Belo Horizonte (Expominas).

Ao escolher essa pauta, entre outras, a AMM busca orientar e auxiliar os gestores e servidores municipais no cotidiano da administração.

A existência de um controle interno também é um tema de interesse da administração municipal, para garantir maior eficiência e eficácia nas ações governamentais.

Nos últimos anos, essa preocupação tem tomado maiores proporções em decorrência do agravamento das penalidades impostas àqueles que eventualmente descumprirem normas e princípios constitucionais relativos aos gastos púbicos.

O I Seminário de Controle Interno, que acontece durante o 34º CMM, aborda questões práticas e diretas para os servidores que atuam na área, como: o que fazer para instituir um controle interno eficiente, ações na Saúde e Educação, em Compras e Licitações, bem como as responsabilidades nas prestações de contas.

Como os maiores desafios dos novos gestores municipais são as perspectivas política e financeira em face da realidade pela qual passa o país, o 34° Congresso Mineiro de Municípios terá como tema “Cidades Criativas e Soluções”, apresentando aos gestores, parlamentares, servidores públicos e sociedade as melhores ferramentas e caminhos a seguir para uma administração eficaz.

Além desses, outros conteúdos serão tratados como as receitas públicas advindas de transferências; o plano municipal de Educação; relação entre o Sistema Único de Assistência Social e a Política de Direitos Humanos. E mais, o desenvolvimento técnico-científico dos servidores públicos municipais; a importância do planejamento para a gestão orçamentária e financeira do Sistema Único de Assistência Social (SUAS) e a Lei Robin Hood, gestão e monitoramento de forma a garantir maior receita do ICMS.

Serão realizadas também oficinas, com conteúdos específicos e direcionados à capacitação dos gestores e servidores municipais. O evento ainda contará com palestrantes de renome nacional, como o jornalista Merval Pereira (O Globo), a jornalista Leila Ferreira, o advogado Jacoby Fernandes e o filósofo e escritor Luiz Felipe Pondé (Folha de S. Paulo).

Durante o congresso, acontecerá o 1° Seminário de Controle Interno, o V Encontro Estadual de Secretários Municipais de Meio Ambiente, Obras, Agricultura e Pecuária, a 32 ª Feira do desenvolvimento, a entrega do Prêmio Mineiro de Boas Práticas na Gestão Municipal e a posse da nova Diretoria da AMM, gestão 2017-2019.

(*) Orion Teixeira é jornalista político; leia mais no www.blogdoorion.com.br

Comentários

Carregar mais em Orion Teixeira