Home Colunas Orion Teixeira [Coluna do Orion] PMDB mineiro ‘fecha’ com Pimentel para 2018

[Coluna do Orion] PMDB mineiro ‘fecha’ com Pimentel para 2018

O presidente da Assembleia Legislativa, deputado Adalclever Lopes (PMDB), jogou uma ducha de água fria naqueles peemedebistas que defendem candidatura própria ao governo do Estado no ano que vem. Na última sexta (7), Adalclever discursou, durante posse da nova direção do PT mineiro, na sede do Crea/MG, em Belo Horizonte, e reafirmou a aliança com o PT do governador Fernando Pimentel e do ex-presidente Lula para 2018.

“Nós, em Minas, somos diferentes do que está acontecendo nacionalmente. Eu vim aqui para reafirmar o que fizemos hoje (7), pela manhã, na reunião do diretório estadual. O PMDB de Minas é Lula e é Pimentel”, disse, em tom inflamado, o presidente da Assembleia, que chegou a citar também o nome da ex-presidente Dilma Rousseff (PT). Seu breve discurso foi interrompido pelos gritos de “Lula lá”.

Três dias depois, Adalclever participou de novo evento, ao lado do governador e do ex-presidente Lula, de lançamento da segunda fase do Memorial da Democracia, no Grande Teatro do Palácio das Artes, em Belo Horizonte. O museu virtual multimídia é uma parceria entre o Instituto Lula e o Projeto República, da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG).

Também acompanharam o lançamento prefeitos, vereadores, deputados estaduais e federais, reitores, representantes de movimentos sociais e sindicais, trabalhadores e estudantes. De acordo com Lula, o objetivo do museu virtual é fazer uma provocação aos brasileiros: o que é a democracia?

Foi também de Adalclever a sugestão para que Lula fosse o orador oficial da solenidade do último 21 de abril, em Ouro Preto, o que não ocorreu por razões políticas e regimentais, entre elas o fato de Lula já ter sido homenageado em 2003 pelo hoje rival político, o ex-governador Aécio Neves.

O anúncio de apoio de Adalclever, no dia 7 de julho, ocorreu também um ano e três meses depois de ele apoiar e participar do encontro do diretório nacional de seu partido, o PMDB, que decidiu pelo rompimento com o governo Dilma Rousseff (PT). À época, seu pai, o deputado federal Mauro Lopes virou ministro da Aviação Civil e, depois de deixar o cargo para votar no processo de impeachment, votou contra Dilma Rousseff.

Além de presidente da Assembleia e de comandar as votações na casa em favor do governo, Adalclever é, atualmente, a liderança mais forte dentro do partido, especialmente depois que o atual presidente e vice-governador Antônio Andrade rompeu com o governador e ficou completamente esvaziado no Estado.

AMM faz gestão itinerante

A Associação Mineira de Municípios lança o projeto de interiorização “AMM nos Municípios – Encontros nas Macrorregiões”, amanhã (13), na capital, e o levará a cada uma de suas 30 regionais no interior mineiro. O primeiro município a receber o projeto será Andradas (sul), no dia 21 de julho. O programa terá a parceria do Tribunal de Contas do Estado, do Crea/MG, do governo estadual e da Assembleia Legislativa. A ideia é levar aos gestores e servidores a oportunidade de discutir ideias e técnicas na busca de soluções e desenvolvimento.

“Será um grande processo de interiorização da AMM, valorizando todas as suas diretorias”, disse o presidente da Associação e prefeito de Moema, Julvan Lacerda.

Professores estaduais receberão 5% a cada cinco anos

A Assembleia Legislativa de Minas promulgou, nesta terça (11) a Emenda à Constituição 95, que assegura o pagamento do Adicional de Valorização da Educação Básica (Adveb) aos servidores da educação estadual. Pela medida, fica garantido o pagamento de adicional de 5% a cada cinco anos de trabalho, calculados sobre o vencimento básico, contados a partir de 1º de janeiro de 2017, ou seja, o adicional já é devido desde janeiro deste ano.

A emenda teve o deputado Rogério Correia como primeiro signatário e foi aprovada pelo Plenário no dia 3 de julho. De acordo com a presidente do Sind-UTE, Beatriz Cerqueira, mais de 50 mil profissionais deverão ser beneficiados. Ela reivindica que o governo pague o retroativo a partir deste mês.

Fundos podem acabar com o parcelamento de salários

O governador Fernando Pimentel (PT) comemorou a aprovação, pela Assembleia Legislativa, no dia 6 último, do projeto que cria fundos públicos do estado, permitindo a venda de imóveis do estado, para ampliar a arrecadação estadual e ajustar as contas. “Minha prioridade depois disso é acabar com o parcelamento dos salários dos servidores em três vezes”, disse ele.

(*) Jornalista político; leia mais no www.blogdoorion.com.br

Comentários

Marcelo

Marcelo

Marcelo Freitas é redador-chefe do Bhaz

Carregar mais em Orion Teixeira