Home Notícias Brasil Madrasta de Isabella Nardoni, Anna Carolina Jatobá vai para o semiaberto

Madrasta de Isabella Nardoni, Anna Carolina Jatobá vai para o semiaberto

Anna Carolina Jatobá, protagonista, ao lado do marido, Alexandre Nardoni, de um crime que comoveu a opinião pública brasileira há quase dez anos – o assassinato da sua enteada Isabella Nardoni, em 29 de março de 2008 –, recebeu nesta segunda-feira,17, a progressão de pena para o regime semiaberto. A decisão foi concedida pela juíza Sueli Zeraik de Oliveira Armani, da 1° Vara de Execuções Criminais de Taubaté (SP).

Condenada a 26 anos e oito meses de prisão por homicídio triplamente qualificado, Ana Carolina poderá, com a decisão, deixar a penitenciária cinco vezes ao ano, durante as saídas temporárias. Ela também poderá sair para trabalhar, desde que retorne para dormir em sua cela. Na decisão, a juíza destacou que, durante o período em regime fechado, Anna Carolina nunca teve uma infração disciplinar.

“Anna Carolina Jatobá foi submetida a exame criminológico e obteve resultado positivo pela unanimidade dos membros da Comissão Técnica de Classificação, os quais ressaltaram que a possibilidade de reincidência é nula”.  A magistrada ainda afirma que a condenada “possui percepção da gravidade do ocorrido, apresenta juízo crítico da realidade, valores éticos e morais preservados, autocrítica, tolerância à frustração e controle sobre sua agressividade”.

A decisão da juíza sai três meses após o advogado de defesa de Anna Carolina alegar que sua cliente tinha direito ao benefício porque já havia cumprido nove anos da pena prevista sem cometer falta grave, e assim ser considerada de bom comportamento. A permissão da juíza, ainda se baseou no parecer favorável do promotor criminal Luiz Marcelo Negrini, que analisou o laudo criminológico e o histórico da detenta. Em seu parecer, Negrini afirmou que “o interesse do Estado em recuperar a apenada prevalece sobre a gravidade do crime e suas consequências, por mais nefastas e repugnantes que sejam”.

Ao final do despacho, a juíza afirma que a mudança pode ajudar na reinserção social da presa. “Embora se trate de regime prisional mais brando, ainda é bastante vigiado e possibilita a observação da evolução da detenta e seu retorno gradativo à sociedade”.

Durante as avaliações pelas quais passou para ter direito ao benefício previsto em lei, Anna Carolina voltou a afirmar à equipe médica que era inocente e que quer refazer a vida, ao lado dos familiares. Ela também afirmou que mantém o relacionamento com o marido Alexandre Nardoni, que também cumpre pena na Penitenciária de Tremenbé.

A Secretaria da Administração Penitenciária (SAP) de São Paulo informa que Anna Carolina já foi transferida para a ala de progressão da unidade, onde também está Suzanne Von Richthofen, condenada por matar os pais.

O crime que comoveu o país

Na noite do 29 de março de 2008, a menina, Isabella de Oliveira Nardoni, de 5 anos, foi jogada do sexto andar do edifício em que morava a família, na Vila Guilherme, zona norte da capital Paulista. De acordo com a sentença, baseado em laudos criminais e provas contundentes do Ministério Público, o pai, Alexandre Nardoni, e a madrasta, Anna Carolina Jatobá, foram condenados por homicídio doloso qualificado. Nardoni com o agravante de que era o ascendente direto da vítima, teve pena maior, de 31 anos, 1 mês e 10 dias de reclusão. O casal tem dois filhos, de 10 e 12 anos.

 

Comentários

Carregar mais em Brasil