Home Colunas Orion Teixeira [Coluna do Orion] Doria deveria contratar atirador de ovos e dispensar apoio do impopular Temer

[Coluna do Orion] Doria deveria contratar atirador de ovos e dispensar apoio do impopular Temer

Hora depois de ser elogiado pelo presidente Michel Temer (PMDB), o prefeito paulistano João Dória, um dos pré-candidatos presidenciais do PSDB, foi recebido com chuva de ovos em Salvador, na segunda (7) à noite, quando recebeu título de cidadão honorário soteropolitano.

O presidente elogiou o prefeito por ter visão “nacional” e “conciliadora”, chamou-o de parceiro, e companheiro durante evento no qual oficializaram acordo para transferência de parte de terreno para a administração paulistana. Doria retribuiu, dizendo que a permanência de Temer na Presidência é positiva para a economia, contrariando pensamento de corrente tucana que quer distância do governo.

A troca de afagos expôs um processo de aproximação entre o PMDB do presidente e o prefeito tucano. Um dos presidenciáveis tucanos mais fortes, o governado de São Paulo, Geraldo Alckmin, não compareceu ao evento e tem adotado distanciamento maior do governo e por defender que o partido saia do governo nos próximos dois meses.

Dória tem sua retórica focada no antipetismo e, apesar de ser aliado do governador paulista, igualmente presidenciável, defendeu a candidatura de quem tiver melhor nas pesquisas no ano que vem.

Melhor do que receber elogios de Temer, o presidente mais impopular da história, Dória deveria contratar o atirador de ovos que o brindou em Salvador. “Não é esse o caminho que desejamos para o Brasil. Esse é o caminho do Lula, o caminho do PT, das esquerdas que querem isso. A intransigência, a agressividade e a tentativa de amedrontar. A mim não intimida. Vão lá defender o Maduro e jogar ovo lá na Venezuela”, disse, em vídeo publicado nas redes sociais.

O antipetismo e as redes sociais têm sido os principais instrumentos de projeção de Dória em São Paulo e fora de lá, mas para ser candidato terá dificuldades por virar as costas, costumeiramente, para a classe política ao dizer-se antipolítico e nome de renovação.

TRE reprova contas do PT mineiro

Por unanimidade, o TRE de Minas desaprovou, no último dia 7, a prestação de contas do PT mineiro referente ao ano de 2012, com determinação de devolução e suspensão do recebimento das cotas do Fundo Partidário. Dentre as irregularidades encontradas na prestação de contas do partido, estão a não aplicação de recursos do fundo partidário em programa de incentivo à participação política feminina e a existência de recursos de origem não identificada.

“São falhas graves e insanáveis que comprometem a confiabilidade e a regularidade da prestação de contas”, constatou o juiz Carlos Roberto de Carvalho, relator do processo no TRE-MG, seguindo o entendimento do Ministério Público.

TCE acusa R$ 180 milhões em convênios irregulares no Estado

O Tribunal de Contas do Estado determinou à Controladoria-Geral do Estado para que, no prazo de 210 dias, sob pena de multa, informe sobre irregularidades em prestações de contas dos convênios com prazo vencido e apurações de danos ao erário por outros atos ilegítimos e antijurídicos.

De acordo com o conselheiro José Alves Viana, as irregularidades podem chegar a R$ 180 milhões (não atualizados nem acrescidos de juros de mora). A maioria dos convênios é feita com prefeituras e entidades assistenciais. O levantamento solicitado pelo TCE terá o alcance dos últimos 10 anos.

“Esta relatoria verificou ser de causar espanto, frise-se, muito espanto, o número de procedimentos administrativos que evadem à instauração de tomada de contas especial, a maioria por incompetência ou negligência do próprio Estado de Minas Gerais em perseguir o dano apurado”, apontou o conselheiro do Tribunal de Contas, afirmando que apenas 13 convênios correspondem a R$ 43 milhões. “Isto é, mais de 50% dos maiores repasses cujos gestores do convenente permanecem em alcance, sem nenhuma – isso mesmo, nenhuma – medida tomada pela Administração estadual”.

De acordo com a Controladoria-Geral do Estado, a atividade de auditoria é exercida por meio de análise amostral, a partir da identificação de riscos, e que não compete ao órgão a avaliação de todos os convênios firmados pelo Estado. “Neste sentido, no universo apresentado ao TCE- MG constam convênios auditados ou não pela CGE”, diz nota do órgão.

Segundo a manifestação, a avaliação das prestações de contas dos convênios é de competência dos gestores dos órgãos e entidades concedentes.

Professores param no dia 17

Os professores paralisam totalmente as atividades por 24 horas no próximo dia 17, quando também realizam assembleia no pátio da Assembleia Legislativa, em BH, para decidir sobre reajustes da categoria, entre eles, três meses do reajuste de 11,35% de 2016, que deve ser aplicado ao vencimento básico e abono, além dos 5% de Adicional de Valorização da Educação Básica retroativo a janeiro de 2017, conforme aprovação da Assembleia Legislativa de Minas.

No mês de junho, em duas datas consecutivas, o Sindicato Único dos Trabalhadores em Educação de Minas Gerais reivindicou 7,64% de reajuste de acordo com o novo Piso Salarial Profissional Nacional (de janeiro passado). A garantia dos reajustes anuais foi pactuada pelo governador Fernando Pimentel em acordo assinado em 2015 com o sindicato, mas o projeto ainda não chegou à Assembleia Legislativa.

Estado repõe mais R$ 123 mi a municípios mineiros

Após cobrança da Associação Mineira de Municípios (AMM), o Governo de Minas repassou aos municípios mineiros, na última sexta-feira (4), R$ 123 milhões referentes à correção do ICMS de julho. Além disso, foram transferidos, também, mais R$ 3 milhões de juros de mora e correção monetária. Quando fez o primeiro repasse, havia erros nos cálculos que foram identificados pela Associação.

(*) Jornalista político. Leia mais no www.blogdoorion.com.br

 

Comentários

Orion Teixeira

Orion Teixeira

*Jornalista político, Orion Teixeira recorre a sua experiência, que inclui seis eleições presidenciais, seis estaduais e seis eleições municipais, e à cobertura do dia a dia para contar o que pensam e fazem os políticos, como agem, por que e pra quem.

É também autor do blog que leva seu nome (www.blogdoorion.com.br), comentarista político da TV Band Minas e da rádio Band News BH e apresentador do programa Pensamento Jurídico das TVs Justiça e Comunitária.

Carregar mais em Orion Teixeira