Home Colunas Orion Teixeira [Coluna do Orion] Minas realiza a nona eleição para prefeito neste ano

[Coluna do Orion] Minas realiza a nona eleição para prefeito neste ano

Em decisão nessa terça (29), o Tribunal Regional Eleitoral (TRE) marcou para o dia 12 de novembro novas eleições para prefeito e vice no município de Santana da Vargem (Sul de Minas). O prefeito eleito Argemiro Rodrigues Galvão (PDT) teve o registro indeferido porque suas contas referentes à gestão anterior (2005) foram rejeitadas pela Câmara Municipal. Desde janeiro deste ano, o presidente da Câmara responde pelo cargo.

Outros oito municípios já realizaram eleições neste ano para eleger novos prefeitos e vices: Alvorada de Minas, Ervália e São Bento Abade (março); Guaraciama (maio); Cristiano Otoni (junho); e Santa Rita de Minas, Canaã e Campo Florido (julho). Os motivos são vários e vão desde irregularidades, corrupção eleitoral e contas rejeitadas.

No país, mais de 15 municípios já voltaram às urnas. Neste domingo (3), três cidades elegem novos prefeitos: Abelardo Luz (SC) e as paulistas Mairinque e Mombuca.

De acordo com o calendário normal, no ano passado, a Justiça Eleitoral realizou a maior eleição municipal da história. Mais de 118.757.780 milhões de eleitores foram às urnas nos 5.568 municípios para escolher seus representantes, entre prefeitos e vereadores.

TRE altera lista de zonas eleitorais extintas em Minas

Ainda no TRE, por conta de erro material, foi republicada, nesta quinta (31), a decisão que extinguiu 45 zonas eleitorais no estado, rebaixando-as a postos de atendimento. De acordo com a correção, a zona eleitoral de Caldas (Sul) fica sendo um posto de atendimento ligado à 345ª zona de Santa Rita de Caldas e não o contrário, como havia sido publicado.

Outra revisão manteve o município de Ipuiúna ligado à mesma zona de Santa Rita de Caldas em vez de Caldas. uriosamente, os municípios de Caldas e de Ipuiúna têm população e eleitorado maior do que o de Santa de Rita de Caldas.

A extinção de 45 zonas eleitorais em Minas foi uma exigência do Tribunal Superior Eleitoral no projeto chamado de rezoneamento sob o argumento de economia. Em Minas, a redução de gastos será de R$ 550 mil mensais. Por outro lado, onde ocorrer a extinção, além do status de zona, o município perderá juiz e promotor eleitoral, ou seja, não haverá fiscalização direta.

Vale do Sereno teme desastre com novos prédios em Nova Lima

Representantes de associações do bairro Vale do Sereno, em Nova Lima (Grande BH), advertem para o risco de desmoronamento de prédios já existentes no local com a possível construção de outras seis torres, que conseguiram o alvará de construção da prefeitura. O secretário de Planejamento de Nova Lima, André Luiz Rocha, não reconheceu o risco iminente, ao considerar que a obra ainda não começou.

O presidente da Associação de Proteção ao Vale do Sereno, Leonardo Pinho Gomes, disse que o terreno é arenoso, tem um declive de 80 graus e apresenta desníveis que vão de 9 a 15 metros. “Mais importante que nosso patrimônio são as nossas vidas”, afirmou.

O secretário André Rocha disse que o alvará seguiu os critérios da legislação vigente e que não se pode falar em risco porque ainda não foram iniciados os trabalhos.

(*) Jornalista político; leia mais no www.blogdoorion.com.br

Comentários

Carregar mais em Orion Teixeira