Home Notícias Brasil Funcionária escuta choro de bebê em motel e denuncia estupro de criança à polícia

Funcionária escuta choro de bebê em motel e denuncia estupro de criança à polícia

Um mulher de 24 anos e um médico peruano, de 45, foram presos em flagrante suspeitos de estuprar uma bebê de 7 meses dentro de um motel em Manaus. Eles foram detidos na quinta-feira (31) e tiveram a prisão preventiva decretada pela Justiça do Amazonas nessa segunda-feira (4). As informações são do G1.

De acordo com a Polícia Militar (PM), uma funcionária do motel escutou a criança chorando dentro de um dos quartos e acionou a corporação por meio do 190. Em depoimento, a testemunha explicou não ter visto a jovem e menina entrando no estabelecimento. Segundo ela, o médico foi quem pediu uma suíte e entrou no local de carro.

“No local indicado os policiais militares encontraram o médico, a jovem e a filha dela. Na ocasião, constataram que a bebê estava nua. Os policiais então pediram para uma camareira verificar a genitália da bebê, quando foi constatada certa vermelhidão na região, com indícios de estupro”, explica a titular da Delegacia Especializada em Proteção à Criança e ao Adolescente Juliana Tuma. “Em seguida o médico e a mãe da vítima, que se relacionavam há cerca de dez anos, foram levados até a Depca e a bebê encaminhada ao Instituto Médico Legal (IML), para exame de corpo de delito”, finaliza a delegada.

Ainda segundo os policias, os suspeitos contaram ser pais da criança. A suposta mãe, no entanto, explicou que o médico peruano nunca mostrou amor paternal pela filha e que já presenciou atitudes estranhas dele com a vítima. A informação sobre a paternidade da bebê ainda precisa ser confirmada, já que não há registro de nascimento da criança.

Laudos técnicos comprovaram que a bebê foi estuprada e que ela já sofria abuso há muito mais tempo. A menina foi levada para um abrigo e o casal foi indiciado por estupro de vulnerável. A mulher vai responder por conduta omissiva e o homem pelo fato consumado.

Comentários

Carregar mais em Brasil