Home Notícias BH Com direito a pizzas e sorvetes, lista de lanches para vereadores causa polêmica no interior de Minas

Com direito a pizzas e sorvetes, lista de lanches para vereadores causa polêmica no interior de Minas

O presidente da Câmara Municipal de Carmo da Mata, na região Centro-Oeste de Minas Gerais, Leonardo Rodrigues de Almeida (PT), divulgou um comunicado, nesta quinta-feira (30), na tentativa de justificar uma lista de compras com itens que deveriam ser consumidos pelos vereadores ao longo deste ano. A seleção, que seria fornecida por uma empresa contratada, causou revolta em moradores da cidade por causa da grande quantidade de alimentos solicitados. Entre eles, sorvetes, pizzas, hambúrgueres e carnes de primeira “assada”.

De acordo com o parlamentar, os nove vereadores do município não tinham conhecimento sobre a lista e o edital que previa a compra dos alimentos. Além disso, o documento teria sido preparado por funcionários internos da Casa que não estão acostumados com a atividade.”Todos os vereadores do Legislativo Carmense ficaram perplexos e sem saber o por quê de uma lista composta por tantos itens e sem ao menos de ter sido levada ao conhecimento dos mesmos para que houvesse tal aprovação”, explica parte do texto da nota.

vereadores
Vereadores não sabiam sobre lista de alimentos, justificou presidente da Câmara de Carmo da Mata.
Foto: Reprodução/JornalANotícia

Além dos alimentos considerados regalias, a relação ainda previa a compra de 90 kg de salgados tipo “espetinho”, 90 kg de quibe, 90 kg de coxinha e 90 kg de pasteizinhos, sem contar os 30 kg de rosquinhas. Refrigerantes, 600 litros, sucos naturais, 230 litros, e leite desnatado, 50 unidades, também apareciam na listagem.

O edital, que foi cancelado após a polêmica, ainda determinava a compra de material de limpeza e higiene.

Confira o comunicado na íntegra:

“A Câmara Municipal de Carmo da Mata, com base nas informações veiculadas na mídia local, regional e estadual sobre o Edital de Licitação Nº. 01/2014, sente-se na necessidade de esclarecer alguns pontos pertinentes e que merecem uma maior transparência para que não haja um julgamento precipitado da população.

1º- O Edital de Licitação Nº. 01/2014 em momento algum chegou ao conhecimento dos vereadores integrantes da Comissão Permanente de Licitação, bem como da Mesa Diretora e dos demais Edis, maculando-o de forma irremediável, sendo, portanto, inexistente;

2º – A lista de itens constantes no Edital foi feita por funcionários internos, Gabriel Gonçalves da Silveira, Silma Resende Franciscani e Rosivânia G. da Silva, e pelo técnico de contabilidade da Casa Legislativa, Manoel Rocha Pedrosa, sem o conhecimento, mais uma vez, dos vereadores integrantes da Comissão Permanente de Licitação, bem como da Mesa Diretora e dos demais Edis.

3º- Todos os vereadores do Legislativo Carmense ficaram perplexos e sem saber o por quê de uma lista composta por tantos itens e sem ao menos de ter sido levada ao conhecimento dos mesmos para que houvesse tal aprovação.

4º – Devido ao fato do processo licitatório não ter sido levado ao conhecimento dos vereadores integrantes da Comissão Permanente de Licitação, bem como da Mesa Diretora e dos demais Edis, o mesmo foi declarado nulo pelo Presidente Ti-Léo (Vide decisão em anexo).

Atenciosamente,

Leonardo Rodrigues de Almeida – Presidente da Câmara Municipal de Carmo da Mata”.

Comentários