Home Uncategorized Vitor Santana, Marcos Suzano e João Pires. De Cabo Verde ao quintal do Brasil.

Vitor Santana, Marcos Suzano e João Pires. De Cabo Verde ao quintal do Brasil.

banner-murilo-rosa

É como se a gente embarcasse em uma viagem por um intrigante mundo de sonoridades. Imagine dois exímios violonistas, Vitor Santana, mineiro da gema, e João Pires, português genuíno, e Marcos Suzano, um dos mais inspirados percussionistas brasileiros, juntos, em canções inéditas.

João Pires, Marcos Suzano e Vitor Santana
João Pires, Marcos Suzano e Vitor Santana

Essa mistura gera emoção e raridades. A começar pela intimidade de uma música caboverdeana, NHA KANCERA KA TEM MEDIDA, popular de Cabo Verde, adaptada por Manuel Novas. Música de rua, música de mãe, música do povo. Parece que a gente está em algum quintal entre Lisboa e o Rio de Janeiro, que deve ser em Cabo Verde, mesmo que a geografia não seja exata.

[soundcloud url=”https://api.soundcloud.com/tracks/120403488″]

POR UM BRASIL QUE AINDA EXISTE

Música é como livro de História, conta nosso país através de canções. E por mais que esculhambem nossas raízes, continuamos a compor esta aquarela magnífica de influências e originalidades. Antropologia da Malandragem diz que quem vive no oco do pau é cupim, quem rouba uma vez vai ser sempre suspeito. Cabe bem aos dias de hoje.

MINAS E O NORDESTE EM COMUNHÃO

Minha afinidade musical com Vitor Santana é imensa. Um dia ele chegou em minha casa querendo compor, a melodia ainda não existia. Começamos a brincar e nasceu NADA ALÉM DE VOCÊ, à maneira nordestina, onde cito João Cabral, Graciliano Ramos, Nelson Pereira dos Santos, Darcy Ribeiro, Carlos Drummond e Guimarães Rosa. O refrão: ladeira abaixo / eu sigo assim / sem dono sem rei / sem você aqui. É uma das minhas recentes composições que mais gosto.

[youtube http://www.youtube.com/watch?v=EjmQFyb4r1c]

A COREIA SE RENDE AO BAIÃO

O nordeste está em todo lugar. Posto agora para vocês um vídeo bem legal de um grupo musical coreano cantando e tocando ASA BRANCA, dos queridos Luiz Gonzaga e Humberto Teixeira. O baião brasileiro emocionando até coreanos.

[youtube http://www.youtube.com/watch?v=Eq8a6RVhrZ8]

MINAS ALÉM DAS MONTANHAS

Se fôssemos desenhar a geografia deste disco, daria pra vermos que Minas vai muito além das montanhas. Ele passa por Beirute, Cabo Verde, Lisboa, nordeste brasileiro, Rio de Janeiro, Nova York e pela Minas sertaneja e pura. Vale a pena fazer esta viagem junto com Marcos Suzano, Vitor Santana e João Pires. Três craques num disco só. Isso é Minas Popular Brasileira.

SERVIÇO
Disco: COLADERA Vitor Santana, Marcos Suzano e João Pires
Contatos: [email protected] / 31-93681888 / http://coladera.bandpage.com

QUEM SABE SABE
Prosa com VITOR SANTANA

– Que música você gostaria de ter feito?

Gostaria de ter feito Matita Perê, de Tom Jobim e Paulo César Pinheiro e Cinema Novo, de Caetano Veloso e Gilberto Gil. Ambas são músicas que dão o panorama da riqueza cultural do Brasil e se notabilizam pelas narrativas musical e temática.

[youtube http://www.youtube.com/watch?v=xayaTyvoaO0]

– Que livro você está lendo?

Estou lendo Civilização e Cultura, de Luis da Câmara Cascudo, que faz a etnologia dos principais elementos da cultura humana, tais como poesia, religião, história, alimentação. Um gênio erudito brasileiro.

global_civ_cultura

– Que filme você viu recentemente e gostou?

“A Febre do Rato”, de Cláudio Assis, que conta a história de um poeta marginal.

*Murilo Antunes é um dos letristas do Clube da Esquina. Poeta e compositor, é parceiro de Flavio Venturini, Tavinho Moura, Beto Guedes, Toninho Horta, Lô Borges e Flavio Henrique. Tem cerca de 250 músicas gravadas. É responsável pela editoria Minas Popular Brasileira, no portal Bhaz.

Comentários