Home NotíciasEsportesÁrbitro não relata insultos racistas na súmula e Conmebol começa a investigar caso Tinga

Árbitro não relata insultos racistas na súmula e Conmebol começa a investigar caso Tinga

Com Stéfano Bruno

Os insultos racistas protagonizados pelos torcedores peruanos ao volante Tinga, do Cruzeiro, não foram relatadas na súmula pelo árbitro da partida, o venezuelano José Argote. Porém, mesmo sem o caso ter sido citado no documento oficial do jogo, a Confederação Sul-Americana de Futebol (Conmebol) decidiu abrir o inquérito para apurar os incidentes com base nas imagens do duelo.

Leia também:  Cazares, do Galo, e Popó, do Cruzeiro, testam positivo para Covid-19
Torcedores do Real Garcilaso emitiam sons de macaco quando o volante Tinga pegava na bola Foto: Reprodução/TV Globo
Torcedores do Real Garcilaso emitiam sons de macaco quando o volante Tinga pegava na bola
Foto: Reprodução/TV Globo

“A Unidade Disciplinar da Conmebol abriu uma investigação preliminar diante da denúncia recebida no dia de ontem (quinta-feira) por parte do Cruzeiro. O clube reclama que no jogo disputado no dia 12, contra o Real Garcilaso, torcedores do clube local mostraram conduta racista contra o jogador Paulo César Fonseca Nascimento ‘Tinga'”, informou a página da Conmebol na internet.

Leia também:  Fluminense confirma contratação de Fred, ídolo da torcida tricolor

O artigo 12 do regulamento da Conmebol prevê que”qualquer insulto ou violação à dignidade humana de outra pessoa ou grupo de pessoas, por qualquer meio, em razão da cor, raça, etnia, língua, credo ou origem, (o clube) será suspenso por um período mínimo de cinco jogos ou por um período tempo específico”. Ainda de acordo com as regras, “qualquer associação membro ou clube cujos torcedores se engajarem em conduta descrita (…) será punida com uma multa de pelo menos US$ 3 mil (mais de R$ 7 mil)”.

Leia também:  Cazares, do Galo, e Popó, do Cruzeiro, testam positivo para Covid-19
Foto: Reprodução/Conmebol
Foto: Reprodução/Conmebol

Comentários