Home Destaques do DiaEm duelo equilibrado, Atlético e Cruzeiro empatam sem gols no Independência

Em duelo equilibrado, Atlético e Cruzeiro empatam sem gols no Independência

Com Stéfano Bruno

Atlético e Cruzeiro travaram um duelo muito pegado e de poucas emoções neste domingo (16). O resultado não poderia ser outro: 0 a 0. Victor foi quem teve mais trabalho. Com grandes intervenções, o goleiro alvinegro foi um dos grandes responsáveis pela ausência de gols no superclássico. Por outro lado, o Galo pressionou mais no segundo tempo, mas, bem marcado, encontrou dificuldades para concluir as jogadas.

O Atlético volta a campo na próxima quarta-feira (19), quando visita a URT, às 19h30, no Zama Maciel, em Patos de Minas. O Cruzeiro joga no mesmo dia, às 22 horas, quando recebe o Guarani, no Mineirão, em Belo Horizonte.

Igualdade até em gols anulados

O superclássico mal começou e o Atlético já levou um susto. Logo no primeiro minuto, Dagoberto cobrou escanteio pela direita, Dedé ganhou no alto e obrigou Victor a fazer uma grande defesa. A resposta alvinegra não demorou a acontecer. Aos cinco minutos, Ronaldinho cobrou falta pela direita e quase abriu o placar para o Galo. A partir disso, o que se viu foi um duelo equilibrado e bastante pegado. Enquanto a Raposa apostava nas jogadas aéreas, o time alvinegro tentava encaixar uma troca de passes em seu setor ofensivo.

Leia também:  Fluminense confirma contratação de Fred, ídolo da torcida tricolor
Foto: Bruno Cantini/Atlético
Bem marcado, Ronaldinho Gaúcho apareceu pouco no superclássico
Foto: Bruno Cantini/Atlético

Entretanto, quem acertou uma jogada rápida foi o Cruzeiro. Aos 14 minutos, Dedé lançou Ceará, que ganhou de Dátolo e cruzou para Ricardo Goulart, que chegou batendo de primeira. A bola passou rente à trave esquerda de Victor. As chances de gol foram escassas no primeiro tempo. Com as duas equipes muito atentas na marcação, os principais jogadores de Galo e Raposa seguiram apagados na etapa inicial.

Atlético e Cruzeiro chegaram a balançar a balançar a rede no primeiro tempo, mas os gols foram anulados pelos jogadores estarem impedidos. O tento da Raposa foi marcado por Ricardo Goulart, e o do Galo foi assinalado por Jô. Ambos os gols foram invalidados corretamente.

“Acho que ele (o árbitro da partida, Igor Benevenuto) está apitando para um lado só. Ele está deixando de marcar algumas faltas. Mas o jogo está bom, corrido. As duas equipes tentando o melhor”, disse Jô, no intervalo do superclássico.

“Isso é clássico. Jogo está bom para os dois lados, está pegado e bonito. Vamos descansar um pouquinho para voltar bem e, quem sabe, fazer o gol da vitória”, disse Dagoberto no intervalo.

Leia também:  Cazares, do Galo, e Popó, do Cruzeiro, testam positivo para Covid-19

Segundo tempo

Assim como no primeiro tempo, a segunda etapa também foi muito pegada e bastante equilibrada. O Atlético voltou pressionando mais, porém o Cruzeiro chegou com perigo primeiro. Aos quatro minutos, William fez boa jogada e bateu no canto esquerdo de Victor, que espalmou para escanteio. A resposta alvinegra veio aos 12 minutos, em uma cobrança de falta de Ronaldinho Gaúcho, que por muito pouco não se converteu em gol.

Foto: Bruno Cantini/Atlético
Diego Tardelli poderia ter entrado para o seleto grupos dos dez maiores artilheiros do superclássico, mas teve atuação apagada
Foto: Bruno Cantini/Atlético

O grande destaque da partida eram os jogadores do sistema defensivo, que sempre estavam bem postados e não deixavam os setores ofensivos adversários criarem jogadas de perigo. Quando Éverton Ribeiro acertou linda assistência para Ricardo Goulart e o camisa 28 da Raposa balançou a rede, já havia sido assinalado impedimento. Se estava difícil criar lances de perigo, as jogadas de bola parada passaram a ser a principal alternativa.

Ronaldinho novamente assustou Fábio em cobrança de falta, mas quem passou dificuldades foi Victor. Aos 40 minutos, Souza cobrou e o goleiro atleticano fez grande defesa. No rebote, Rodrigo Souza finalizou firme e o camisa 1 atleticano justificou o seu apelido de “Santo”. Dois minutos depois o Galo desperdiçou a principal chance da partida. Fernandinho fez boa jogada pela esquerda e tocou para Neto Berola. Na marca do pênalti, o atacante dominou livre de marcação, mas não finalizou. Ele preferiu tocar para Marcos Rocha, que estava ao seu lado, mas a marcação da Raposa conseguiu chegar a tempo de afastar o perigo.

Leia também:  Fluminense confirma contratação de Fred, ídolo da torcida tricolor

Atlético 0x0 Cruzeiro

Ficha técnica

Atlético: Victor; Marcos Rocha, Leonardo Silva, Otamendi e Dátolo; Pierre e Josué; Ronaldinho Gaúcho e Diego Tardelli (Neto Berola); Fernandinho e Jô. Técnico: Paulo Autuori.

Cruzeiro: Fábio, Ceará, Dedé, Bruno Rodrigo e Egídio; Souza, Rodrigo Souza, Everton Ribeiro (Moreno) e Ricardo Goulart; Willian e Dagoberto (Marlone). Técnico: Marcelo Oliveira.

Motivo: quinta rodada do Campeonato Mineiro 2014
Local: Estádio Independência, em Belo Horizonte
Data: 16 de fevereiro de 2014, domingo, às 16 horas
Árbitro: Igor Junio Benevenuto
Assistentes: Janette Mara Arcanjo e Pablo Almeida Costa
Cartão amarelo: Ronaldinho, Otamendi, Marcos Rocha, Jô e Pierre (Atlético); Dagoberto, Willian, Dedé e Ceará (Cruzeiro)
Público/Renda: 18.231 (pagantes) / R$ 534.590

Comentários