Home Notícias Brasil Cerveja, vodka e vinho: Brasil supera a média mundial de consumo de bebidas alcoólicas; confira a lista

Cerveja, vodka e vinho: Brasil supera a média mundial de consumo de bebidas alcoólicas; confira a lista

A Organização Mundial da Saúde (OMS) divulgou, nesta segunda-feira (12), um relatório sobre álcool e saúde no mundo. Os brasileiros ficam na lista dos que superam a média mundial de consumo de bebidas alcoólicas, que é de 6,2 litros por pessoa por ano (acima dos 15 anos). Em terras tupiniquins, o índice chega a 8,7 litros. O relatório ainda destaca a grande diferença entre homens e mulheres.

Relatório referente ao Brasil Foto: Reprodução/OMS
Relatório referente ao Brasil
Foto: Reprodução/OMS

Enquanto a taxa das representantes do sexo feminino é de 4,2, a masculina chega a 13,6 litros de álcool por ano. Segundo o relatório, cerca de 3,3 milhões de pessoas morreram em decorrência desse tipo de consumo, com diversas causas, variando desde câncer até a violência, em 2012, contra 2,5 milhões em 2005.

Para Oleg Chestov, especialista da OMS em doenças crônicas e saúde mental, a ingestão de bebidas alcoólicas em excesso mata mais homens que mulheres, além de elevar o risco de desenvolver mais de 200 doenças. “Mais precisa ser feito para proteger populações das consequências negativas à saúde por conta do consumo de álcool”, afirmou.

Relatório referente ao Brasil Foto: Reprodução/OMS
Relatório referente ao Brasil
Foto: Reprodução/OMS

Menos da metade da população, cerca de 38,3%, consome bebida alcoólica. Ou seja, os que de fato bebem, ingerem cerca de 17 litros de álcool puro por ano, considerando a média mundial. A classe social também influenciou nos resultados da pesquisa. Pessoas mais pobres são geralmente as mais afetadas pelas consequências dessa rotina. “Elas frequentemente carecem de cuidados à saúde de qualidade e são menos protegidas por redes funcionais de família e comunidade”, afirmou Shekhar Saxena, diretor de saúde mental e abuso de substâncias da OMS.

Quase 5,9 das mortes no mundo são causadas por doenças infecciosas, acidentes de trânsito, ferimentos, homicídios, doenças cardiovasculares e diabetes. Todas tem alguma relação com o consumo de álcool. Para a OMS, a situação deve piorar à medida que países densamente povoados tenham uma melhora em seus padrões de vida.

A pesquisa cobriu 194 países e teve como objetivo observar o consumo do álcool, os impactos na saúde pública e respostas de políticas de combatente. Alguns países estão reforçando as medidas para proteger os cidadãos do consumo exagerado, como aumento de impostos sobre o álcool, limitação da disponibilidade do produto por meio da imposição de limites de idade e a regulamentação da divulgação. Os destilados são responsáveis por metade do consumo oficial de álcool no mundo, seguido pela cerveja, com 34,8% e vinho, com 8%.

A Europa é o continente que tem o maior consumo de álcool por pessoa. Entretanto, as tendências globais mostram que o consumo, nos últimos cinco anos, tem sido estável na Europa, África e nas Américas, mas avança no Sudeste Asiático e na região ocidental do Pacífico.

Comentários