Home Eleições 2014 Candidato do PCO defende criação de milícias populares

Candidato do PCO defende criação de milícias populares

O candidato do PCO à Presidência da República, o paulista Rui Costa Pimenta, concedeu entrevista ao G1 nesta terça-feira (20) e defendeu a dissolução da Polícia Militar e a criação de milícias populares, além da estatização do sistema bancário e o combate ao capitalismo.

rui_hor1
Rui Costa Pimenta é entrevistado por Tonico Ferreira e Nathalia Passarinho.
Foto: Reprodução / Caio Kenji / G1

Esta é a quarta vez que o candidato concorre à disputa pela presidência, mesmo o partido sendo um grande opositor ao atual sistema eleitoral brasileiro. Segundo Rui Costa, mesmo o PCO não concordando com o atual modelo, é importante participar do processo para tornar o debate público e deixar clara a posição do partido à toda população.

Quando questionado sobre segurança pública, Rui costa Pimenta defendeu a dissolução da Polícia Militar e a criação de milícias populares. De acordo com o candidato, as milicias populares são instituições típicas de democracias. Ele disse também que um “povo desarmado é um povo escravizado e um povo armado é um povo que controla seu destino”.

“É mais fácil controlar grupos armados (criminosos) pela população que pela polícia, a policia não controla nada. A população organizada nas comunidades, nos sindicatos, tem mais capacidade de organização social que a policia”, completou o candidato.

Rui Costa também defendeu que os problemas de educação se resolvem com dinheiro e, quando questionado de onde viriam os investimentos, sugeriu a estatização dos bancos. “Ou você controla os bancos ou os bancos controlam o Estado”, disse.

Para o candidato, a cultura capitalista dos bancos privados é um dos principais problemas para o desenvolvimento social de qualquer país. “Banco privado é um vampiro social tão grande que até os empresários tem horror”, afirmou Rui Costa Pimenta.

Comentários