Home Eleições 2014 Propaganda eleitoral gratuita começa com homenagens a Eduardo Campos

Propaganda eleitoral gratuita começa com homenagens a Eduardo Campos

A terça-feira (19) foi marcada pelo início dos programas eleitorais na TV e no rádio. Candidatos de todo Brasil aproveitam o espaço para mandar suas mensagens e apresentar suas propostas para o país. Nas eleições de outubro deste ano os brasileiros irão votar para deputado estadual, deputados federal, governador, senador e presidente.

O primeiro dia de propaganda foi marcado pelos programas dos candidatos a presidente, que foram distribuídos assim: Dilma Rousseff (PT) com 11 minutos e 48 segundos; Aécio Neves (PSDB) com 4 minutos e 31 segundos; PSB com 1 minuto e 49 segundos; Pastor Everaldo (PSC) com 1 minuto e 8 segundos; Eduardo Jorge (PV) com 1 minuto e 1 segundo; Luciana Genro (PSOL) com 51 segundos; Eymael (PSDC) com 47 segundos; os candidatos Levy Fidelix (PRTB), Zé Maria (PSTU), Mauro Iasi (PCB) e Rui Costa Pimenta (PCO) tiveram 45 segundos cada.

Os candidatos com menor tempo de propaganda eleitoral e que possuem números menos expressivos nas últimas pesquisas eleitorais, também chamados de candidatos nanicos, aproveitaram o espaço para fazer críticas ao governo federal e também apresentarem os ideais de seus candidatos e partidos.

O programa do PSB, que deve confirmar nesta quarta-feira (20) a tarde o nome de Marina Silva como substituta de Eduardo Campos nas eleições, foi dedicado exclusivamente a homenagear o ex-governador de Pernambuco, falecido em acidente de avião na cidade de Santos, litoral paulista, na última quarta-feira (13). O programa contou com uma mensagem de Eduardo Campos contando seus sonhos para o Brasil e depois imagens do ex-candidato durante atos de campanha em eleições passadas. O programa também fez uma rápida homenagem aos outros seis mortos no acidente aéreo.

O candidato Aécio Neves também iniciou seu programa eleitoral homenageando campos, por quem “sempre teve amizade e respeito”. O programa destacou que o Brasil avançou muito nas últimas décadas, mas fez duras críticas ao governo de Dilma Rousseff. Segundo Aécio, o governo Dilma é responsável pelo enfraquecimento da economia e a queda no número de empregos. O tucano também criticou a falta de confiança da população com o governo. Por fim, o candidato propõe uma união em torno de um projeto de país e não em torno de um projeto de poder (referindo-se ao objetivo do PT em governar o país por mais quatro anos).

Dona do maior tempo de propaganda, mais que o dobro de Aécio, o segundo no ranking, a presidente Dilma Rousseff utilizou o programa para destacar os “avanços” do Brasil nos últimos 12 anos de governo petista. Dilma foi mostrada como uma pessoa normal, que realiza atividades cotidianas tal qual tantos brasileiros. O programa destacou o aumento nos empregos gerados no brasil enquanto EUA e Europa enfrentam altos índices de desemprego durante a crise econômica mundial. A presidente também destacou a continuidade do governo Lula sem deixar de citar conquistas do próprio governo, como os Pronatec, o Ciência sem Fronteiras e o Mais Médicos. Por fim, o ex-presidente Lula deixou uma mensagem homenageando Eduardo Campos, por quem Lula tinha uma relação de “afeto de pai e filho”.

O programa eleitoral gratuito na rádio e na TV segue até três dias antes da eleição, que ocorre no dia 5 de outubro.

Comentários