Home Eleições 2014 Eduardo Jorge ganha destaque no debate entre presidenciáveis

Eduardo Jorge ganha destaque no debate entre presidenciáveis

O debate entre os candidatos à presidência da República é a oportunidade que os eleitores têm de acompanhar como  os pretensos representantes do país se portam na hora de defenderem suas campanhas e seus projetos para o país. Além disso, nos debates, os candidatos se mostram à população de forma mais direta e constroem a imagem que será sua marca durante as eleições.

Na terça-feira (26) ocorreu o primeiro debate entre os presidenciáveis, promovido pela rede Bandeirantes de comunicação. Estiveram presentes os principais candidatos, Dilma Rousseff (PT), Marina Silva (PSB) e Aécio Neves (PSDB), além dos chamados candidatos nanicos, que tem pouco tempo de propaganda e aparecem com baixos índices de intenção de voto nas pesquisas realizadas. Dentre os que se enquadram nesta definição estavam Pastor Everaldo (PSC), Luciana Genro (PSOL), Levy Fidélix (PRTB) e Eduardo Jorge (PV).

E Eduardo Jorge foi a grande sensação do debate (esteve entre os assuntos mais comentados nas redes sociais) abordando temas “impopulares” como a legalização da maconha, o aborto e “brincando” com os adversários.

Com postura que lembrou Plínio de Arruda Sampaio, candidato do PSOL na disputa pela presidência em 2010 e que chamou atenção do país pela postura jocosa durante os debates da época, Eduardo Jorge não deixou por menos. Chamou Marina Silva de “magrinha”, afirmou que Pastor Everaldo roubou-lhe a frase “menos Brasília e mais Brasil” (e fez questão de permitir ao colega que utilize a frase em sua campanha), citou Tolstói, John Lenon e Gandi.

Eduardo Jorge ficou sério quando criticou a atual legislação no que se refere ao tratamento das mulheres quanto ao aborto, que, segundo ele, “coloca as mulheres à própria sorte”. “A legislação é cruel. Ela coloca 800 mil mulheres à própria sorte, procurando clínicas clandestinas e morrendo ou ficando com sequelas”, afirmou o candidato.

O candidato trouxe outros temas polêmicos ao debate entre os candidatos, como a legalização de drogas ilícitas, como a maconha, por exemplo. Médico Sanitarista, Eduardo voltou a defender a descriminalização do consumo de maconha, mas afirmou ser contra a legalização do crack.

Por fim, Eduardo Jorge defendeu a “cultura de paz”. “Paz e amor não quer dizer covardia.  Paz e amor são ideias de gente como John Lennon (…0 E o PV é revolucionário em vários aspectos, com uma cultura de paz transformando a cultura de guerra”, finalizou.

Comentários