Home Eleições 2014 Marina indica que pode continuar no PSB caso eleita

Marina indica que pode continuar no PSB caso eleita

A candidata Marina Silva (PSB) que aparece em empate técnico com a presidente Dilma Rousseff (PT) segundo as últimas pesquisas de intenção de voto para o primeiro turno das eleições presidenciais, sinalizou nesta quarta-feira (3), em São Paulo, que caso eleita, não deixará o Partido Socialista Brasileiro. As informações são do portal G1.

Marina não conseguiu registrar o partido Rede Sustentabilidade, da qual é fundadora, em tempo hábil para disputar essas eleições, e, por isso, acabou entrando no PSB a convite de Eduardo Campos, de quem era vice até o acidente que levou a sua morte. No entanto, passado o período eleitoral, o partido terá seu registro regularizado e, portanto, habilitado a abrigar os políticos.

Para Marina  o partido só não foi registrado a tempo “por uma ação política dos cartórios” e afirmou que, se eleita presidente, vai “continuar como presidente da República eleita pelo PSB”, uma vez que não pretende “instrumentalizar” o lugar.

Sobre a disputa pela vaga de presidente da República a ex-ministra de Lula preferiu manter a humildade, mesmo apresentando resultados  satisfatórios e crescentes nas pesquisas de opinião. “Neste momento, temos que andar de pé no chão e com sandálias de algodão”, disse.

Marina também não quis se manifestar sobre um suposto apoio do PSDB à sua candidatura em um eventual segundo turno com a presidente Dilma. “Eu tenho respeito pelos concorrentes. Em uma democracia, em eleições de dois turnos, os candidatos contribuem para o debate”, afirmou a ambientalista, que reiterou sua ideia de não disputar a reeleição em 2018.

Sobre o corte no número de ministérios, uma das propostas de governo, Marina não adiantou quais seriam as pastas seriam abdicadas em seu governo. “Quais serão reduzidos, isso é algo que você faz no momento em que é eleito. Ninguém pode fazer essa ilação sem ter os dados”, disse.

Comentários