‘Brioches brilhantes’ e ‘baguetes crocantes’! Veja exigências na lista de compras do Palácio do Planalto

temer
Divulgação/EBC

Um orçamento que prevê a compra de alimentos para o Palácio do Planalto, em Brasília, chama atenção devido às especificações de cada produto a ser adquirido. Publicados nesta semana, três pregões eletrônicos preveem a compra de produtos hortifrutigranjeiros, de panificação e alimentos perecíveis, somando um valor de R$ 356 mil. As informações foram divulgadas em primeira mão pela colunista Mônica Bergamo.

A descrição e os preços de alguns produtos impressionam. Segundo um dos editais, dois mil pacotes de pão de forma sairiam por cerca de R$ 25.800, o equivalente a R$ 12,90 cada. Por 50 kg de “brioches com aparência brilhante” devem ser pagos R$ 1.350. Já baguetes de gergelim “com textura crocante” custariam R$ 24 mil. Outros itens também fazem parte da lista: pães de queijo, queijos variados, vegetais, ovos e frutas.

A lista de compra deve abastecer o Palácio do Planalto por 12 meses.

Os pregões com os itens citados podem ser conferidos nos links a seguir: produtos hortifrutigranjeiros, alimentos perecíveis e produtos de panificação.

Procurado pelo Bhaz, o Palácio do Planalto informou que os valores descritos no pregão são estimados e podem mudar até o fim do fechamento da licitação. A previsão é de que o resultado das disputas seja anunciado na próxima quarta-feira (25).

Além disso, o Palácio do Planalto explica que a prestação de serviços dos contratados vai ocorrer por demanda. Ou seja, serão pagos pelo governo apenas o que for realmente fornecido e utilizado.

Veja a nota na íntegra:

nota temer
Divulgação/Palácio do Planalto

Sorvete em avião

No ano passado, uma licitação do Palácio do Planalto para contratar serviços de alimentação nos aviões que atendem a Presidência da República também virou alvo de comentários e críticas.

No documento, o presidente Michel Temer exigia mais de 100 unidades da sobremesa Nutella, a R$ 34 cada pote; além de outros itens sofisticados, como amêndoas in natura, custando R$ 29 um pacote de 100g; farinha de linhaça dourada da marca Jasmine por R$ 44 a cada 200g; e sorvetes da marca norte-americana Häagen-Dazs, a R$15,09 o pote de 100g.

Ao todo, os produtos sairiam por R$ 1,7 milhão. A licitação foi cancelada após repercutir nas redes sociais. Na época, o Palácio do Planalto informou que o presidente mandou cancelar as compras para que os custos dos serviços fossem reduzidos.

Roberth Costa
Roberth Costaroberth.costa@bhaz.com.br

Editor do BHAZ desde junho de 2018 e repórter desde 2014. Participou do processo de criação do portal em 2012. É formado em Publicidade e Propaganda pela Faculdade Promove. Participou de reportagens premiadas pela CDL/BH em 2018 e 2019, além figurar entre os finalistas do prêmio Sindibel, também em 2019.