Home Carnaval 2018 Manifestações políticas em pleno Carnaval marcam folia por todo país

Manifestações políticas em pleno Carnaval marcam folia por todo país

Quem pensa que durante o Carnaval a população “esquece” os problemas enfrentados pelo país, está enganado. A folia deste ano comprova isso por meio das manifestações que têm ocorrido durante os desfiles de blocos de rua e escolas de samba. O alvo maior das críticas é o presidente da República, Michel Temer (PMDB).

Em Belo Horizonte, por exemplo, durante o desfile do bloco Quando Como se Lambuza, na avenida Afonso Pena, os foliões entoaram “Fora, Temer”. Eles foram conduzidos pelo trio elétrico, conforme mostra o vídeo.

Ainda em BH, o bloco Tico Tico entoou o grito de “Olê, olê, olê, olá, Lula, Lula” enquanto o desfile passava pelo túnel da Lagoinha, na região Centro-Sul da cidade.

No Rio de Janeiro, a Paraíso do Tuiuti realizou uma forte crítica às mudanças na legislação trabalhista e ao governo Temer. Com o samba enredo intitulado como “Meu Deus, meu Deus, está extinta a escravidão?”, eles destacaram os 130 anos da Lei Áurea, além de enfatizarem o racismo que, no entender da escola, continua presente no país. Uma das alas destacou operários com uma carteira de trabalho queimadas, fazendo alusão à perda de direitos da Consolidação das Leis do Trabalho (CLT).

Um dos carros da escola trouxe um folião vestindo uma fantasia de vampiro com a faixa presidencial. As críticas não ficaram somente nisso. Os paneleiros, como ficaram conhecidos os brasileiros que foi para as ruas pedir a deposição da ex-presidente Dilma Roussef, foram lembrados no desfile pelos manifestantes fantasiados de fantoches e os patos da Federação das Indústria do Estado de São Paulo (Fiesp).

E as críticas direcionadas aos políticos continuarão na Marquês de Sapucaí nesta segunda-feira (12). O samba de enredo da Beija Flor faz fortes críticas à situação geral do país. “Ganância veste terno e gravata, onde a esperança sucumbiu, vejo a liberdade aprisionada”, diz um dos trechos do samba.

As agremiações do Rio também não estão poupando o prefeito Marcelo Crivell, que diminuiu a verba do município repassada às escolas. “Prefeito, pecado é não brincar de Carnaval”, estava escrito em uma dos carros alegóricos da Mangueira.

(Reprodução/Twitter)

Comentários

Vitor Fórneas

Vitor Fórneas

Jornalista no Portal Bhaz

Carregar mais em Carnaval 2018