X

Mulher faz o próprio parto, mata recém-nascido e esconde corpo dentro de bolsa

Roubo ocorreu em Janaúba, no Norte de Minas

Uma mulher de 24 anos é suspeita de matar um recém-nascido e esconder o corpo dentro de uma bolsa na cidade de Janaúba, na região Norte do Estado. A mulher estaria grávida e justificou o crime por não querer ter filhos.

O desenrolar do caso começou quando a Polícia Militar (PM) foi acionada no Hospital Fundajan, na madrugada de quarta-feira (14). No local, a mulher, que estava grávida, deu entrada sem o bebê e com sangramento intenso.

Segundo a suspeita, ela havia sofrido uma hemorragia enquanto estava na casa da sua avó, que desconhecia a gravidez. Quando questionada sobre o feto, ela disse que havia apenas sangue.

A enfermeira do hospital desmentiu a versão e relatou à PM que a suspeita deu entrada no hospital com sangramento e foi submetida a exames que constataram a gravidez e grande perda de sangue. No dia citado, a mulher passou por uma transfusão, sendo necessárias duas bolsas de sangue.

A avó da jovem relatou que sua neta teria dormido em sua residência de terça para quarta-feira. E, durante a madrugada, a mulher a acordou dizendo que estava toda ensanguentada e pediu ajuda para tomar banho. Em seguida, o pai da jovem a levou para o hospital.

Criança estava morta há dois dias

Após colher os testemunhos, a polícia dirigiu-se à residência da avó da jovem. No local, uma tia dela, que estava na casa, levou os militares até o quarto onde a mulher havia dormido e lhes mostrou uma bolsa amarela de zíper. O material estava dentro de uma cômoda e encoberto por panos e por uma sacola grande.

Após retirar a bolsa e abri-la, os policiais localizaram uma criança recém-nascida, do sexo masculino, com a pele roxa e com mal cheiro. De acordo com a tia da suspeita, ela ajudou a limpar o quarto em que a sobrinha havia dormido, pois este estava muito sujo de sangue.

Entretanto, durante a limpeza, foi encontrada uma bolsa que estava pesada e cheirava mal. Ao abrirem a referida bolsa, encontraram um bebê encoberto por panos. Ainda, segundo testemunhas, a jovem negava a gravidez e dizia a todos que estava com a barriga grande porque estava doente e que seria necessário fazer uma cirurgia.

Quando os militares retornaram ao Hospital, a mulher confessou que dormiu na residência da sua avó na última segunda-feira (12) e que acordou por volta das 4h da manhã sentindo fortes dores na barriga. Após isso, ela realizou o parto sozinha, colocou a criança dentro de uma bolsa e foi se arrastando até o quarto da avó para pedir ajuda. Segundo ela, a criança chorou por volta de cinco minutos após ser colocada na bolsa.

Não foi possível efetuar a conduzir a mulher à Delegacia, pois a mesma se encontra internada, com suspeita de hemorragia interna, e passará por uma curetagem e demais procedimentos médicos.

Categorias: Minas Gerais