Home Notícias Política Kalil sinaliza que não pretende deixar a PBH para disputar o governo de Minas

Kalil sinaliza que não pretende deixar a PBH para disputar o governo de Minas

O prefeito de Belo Horizonte, Alexandre Kalil (PHS), sinalizou neste sábado (24) que não pretende ceder às pressões da direção nacional de seu partido para que deixe a Prefeitura de Belo Horizonte e dispute o governo de Minas nas eleições deste ano. O recado foi dado por ele em entrevista à imprensa no final da manhã, na Câmara Municipal de Belo Horizonte, durante a convenção nacional do PHS. “Sou um homem de honrar compromissos e palavras”, afirmou o prefeito.

A pressão nesse sentido é grande. Internamente, no partido, teve início na última quarta-feira (21), quando a indicação de seu nome foi aprovada em reunião das executivas estadual e nacional do partido. Para o público externo ao partido, a pressão foi tornada pública no final na noite desta sexta-feira (23), quando o deputado federal Marcelo Aro, hoje empossado como o novo presidente nacional do partido, anunciou, em entrevista que foi publicada por diversos sites, entre os quais o Bhazque neste sábado pela manhã, o nome de Kalil seria lançado como candidato do partido ao governo de Minas. Na entrevista, Aro disse também que Kalil somente não seria candidato se ele não quisesse.

A entrevista de Marcelo Aro deu à convenção nacional do partido um outro significado. Sem a fala dele, a convenção passaria despercebida pela imprensa. Kalil chegou à Câmara pontualmente às 10h30, como havia sido acertada com a direção nacional do partido. Ao chegar, ele disse aos jornalistas presentes, que falaria com a imprensa ao final da convenção. No plenário, ele foi recebido por uma charanga de percussão e por um côro que entoou a seguinte frase: “Ô, ô, ô, õ, chega de kaô; Kalil governador”

Ao sentar-se sentar-se à mesa, ele viu, estrategicamente afixadas à sua frente, duas faixas que também o colocavam na condição de candidato a governador. Sentado ao lado do deputado Marcelo Aro, Kalil foi econômico nos gestos. Ouviu atentamente a saudação do presidente de seu partido e o pedido para que aceitasse ser o candidato ao governo do Estado. Permaneceu com as mãos baixas quase que o tempo todo, mas por diversas vezes, levou-as próximo aos olhos, quase que cobrindo-lhe o rosto. Riu apenas uma única vez, quando Marcelo Aro, ao anunciar que iria encerrar sua fala, fez piada sobre o tempo ideal de duração de um discurso, comparando-o com uma saia de mulher, que não deveria ser nem longa, nem curta.

A fala de Kalil durou exatos seis minutos. Nela, ele criticou os políticos que estão no poder. “Eles, por incrível que pareça, não aprenderam. Eles continuam achando que vão fazer do povo que precisa, do povo que aperta o botão na urna, um bando de idiotas. E não vão”. Kalil enfatizou, também, a necessidade de renovação para, em seguida, formalizar o apoio ao nome do jornalista Carlos Viana como candidato do partido ao Senado e como um exemplo também de renovação. E, para frustração dos presentes, encerrou seu discurso sem fazer nenhuma menção ao “convite” para que dispute o governo de Minas. Nem tocar no assunto ele tocou. Era como se a convocação da direção nacional do partido nem tivesse sido feita. A deixar o plenário, ele ainda ouviu de um dos presentes, um último pedido, repetido várias vezes aos gritos: “Aceita, Kalil!”

Ao deixar a Câmara, o prefeito falou aos jornalistas por 35 segundos, tempo suficiente para que desse a seguinte declaração: “Eu tenho vários defeitos. Todo mundo conhece os meus defeitos, que não são pequenos. São muito grandes. E eu tento, todo dia, diminuí-los. Mas eu tenho uma qualidade muito forte. Eu quero falar para vocês que eu sou um homem de compromisso e de palavra”.

Presidente do PHS não se diz frustrado

Marcelo Aro e Carlos Viana afirmaram, após o encerramento da reunião, que não ficaram frustrados com a posição de Kalil. “Foi o que eu esperava”, afirmou Marcelo Aro, que considera natural o prefeito ter um tempo para consultar seus eleitores. “Creio que ele vai acabar aceitando”, ressaltou o presidente nacional do PHS. Carlos Viana minimizou os estudos que indicam que a população não aceita que políticos abandonem o cargo para o qual foram eleitos e partam para disputar outro. Para ele, esse tipo de pensamento cabia em outro momento, quando o país tinha excesso de lideranças e a confiança da população em seus governantes era alta. No cenário atual, Viana acredita que uma eventual saída de Kalil da prefeitura de BH seria compreendida pela população como algo bom para o Estado.

Porém, não é isso que mostram os comentários dos internautas na postagem em que Marcelo Aro anunciou a candidatura de Kalil. Uma eventual “absolvição”do prefeito de Belo Horizonte caso ele decida deixar o cargo pouco mais de um ano depois de eleito, não é vista pela maior parte dos internautas. Até as 14h deste sábado, a postagem havia recebido 87 compartilhamento e centenas de comentários.

“A maior besteira do Kalil vai ser aceitar isso aí. Ainda não mostrou a que veio, apesar de estar tentando fazer alguma coisa certa”, afirmou a internauta Suzana Dias. “Detesto políticos que se comprometem em um pleito eleitoral, são eleitos e, por interesses escusos, não cumprem o mandato em busca de poder. Lamentável se isso acontecer, credibilidade Zero!!!”, afirmou Sheila Matias. Outro internauta foi mais incisivo: “Não faça isso, Kalil! Termine seu mandato de prefeito, porque você vem fazendo um bom trabalho, sim. Nas próximas você candidata”, pediu Cesarius Augusto.

 

 

Marcelo

Marcelo

Marcelo Freitas é redador-chefe do Bhaz

Comentários