Corte de gastos? Possível fechamento da PUC TV mobiliza alunos e funcionários

Eliza Dinah/Bhaz

A televisão universitária da Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (PUC-MG), localizada no campus do Coração Eucarístico, na região Noroeste de BH, pode sair do ar em breve. De acordo com depoimentos de estagiários e funcionários da TV, a universidade teria montado uma comissão para decidir o futuro do veículo. Nos corredores da instituição, fala-se sobre um possível corte de gastos.

A PUC TV Minas iniciou seu funcionamento em 1998, pela lei 8977, de 6 de janeiro de 1995, tratada como ‘Lei da Cabodifusão’. A TV Universitária da PUC Minas é tida como uma das melhores do Brasil e serve como laboratório para estudantes da área de comunicação. Todos os programas são desenvolvidos por estagiários sob a supervisão de profissionais da área.

A TV é sede do canal universitário de Belo Horizonte, transmitido à cabo para toda a capital por meio da NET (canal 12) e da Oi TV (canal 14). O canal reúne, ainda, as produções de outras duas instituições: UFMG e UniBH.

A notícia do possível fechamento da TV pegou a todos de surpresa e tomou conta das redes sociais de alunos, funcionários, estagiários e ex-estudantes da universidade. “Eu me sinto trabalhando sobre aviso prévio, é como se a qualquer momento eu fosse perder meu emprego. Eu acabei de comprar um apartamento, e não sei como vai ser minha vida agora”, comenta um funcionário da TV que preferiu não se identificar.

“Para os alunos de comunicação, a PUC TV representa uma possibilidade de inserção no mercado de trabalho, no qual o profissional chega pronto para atuar. Na sala de aula a gente aprende a teoria, mas o fazer diário do telejornalismo, aprendemos aqui na TV. Se a PUC TV vier mesmo a fechar, pelo menos metade do aprendizado estará perdido”, conta Thomaz Albano, estagiário da PUC TV.

Os alunos já iniciaram uma mobilização nas redes sociais para tentar barrar o fechamento da televisão universitária na instituição. “Já fizemos contato com ex-alunos e ex-estagiários da TV, pessoas que estão nas grandes mídias como Rede Globo, Record, Bandeirantes, dentre outras emissoras. Essas pessoas estarão em um vídeo que estamos montando em apoio à causa. O DCE da universidade também declarou seu apoio. Esperamos que a Reitoria nos ouça, porque se a TV deixar de existir, o curso de comunicação compra sua passagem rumo ao fracasso”, completa Albano.

A distribuição de verbas dentro da universidade também foi discutida. “Aumentaram a mensalidade acima da inflação, demitiram mais de 50 professores, aumentaram o número de matérias virtuais, ‘descontinuaram’ o centro de memória (importante para estudantes de história) e várias outras medidas que afetam a qualidade de ensino. Todos os cortes e aumentos não são revertidos em estrutura nem na permanência de estudantes na universidade. De filantrópica a PUC não tem nada”, comenta Luciana Mendes, estudante de serviço social da universidade.

Confira o vídeo feito por estagiários, ex-estagiários e profissionais já renomados no mercado, como parte da campanha:

O Bhaz procurou a Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (PUC-MG) para comentar o assunto. A assessoria da instituição foi procurada na tarde desta quarta-feira (7), mas ainda não se posicionou sobre o assunto.

Vitor Fernandes
Vitor Fernandesvitor.fernandes@bhaz.com.br

Repórter do BHAZ desde fevereiro de 2017. Jornalista graduado pela PUC Minas, com experiência em redações de veículos de comunicação. Trabalhou na gestão de redes do interior da Rede Minas e na parte esportiva da UOL.