Home Patrocinado Prêmio Fuzuê valoriza iniciativas do Carnaval de BH; festa terá MC Loma, Chama o Síndico e mais

Prêmio Fuzuê valoriza iniciativas do Carnaval de BH; festa terá MC Loma, Chama o Síndico e mais

#Publipost – Esta publicação é patrocinada

Todo ano, o Carnaval de BH gera novas marchinhas, novas músicas (e até discos inteiros!), blocos com propostas das mais diversas; percursos diferentes são pensados, fantasias são imaginadas e elaboradas. É só sair na rua durante a folia para perceber que criatividade é a regra no Carnaval de BH e que este tem movimentado cada vez com mais força a cadeia produtiva da cultura – inclusive fora do período carnavalesco.

O Prêmio Fuzuê do Carnaval de BH surge com a intenção de estimular as iniciativas que fazem a festa acontecer e, através da votação dos próprios foliões, destacar blocos, baterias, marchinhas, trajetos, personalidades, fantasias e escolas de samba.

Tomás Dias, um dos idealizadores do Fuzuê, conta que o objetivo não é criar uma disputa entre os blocos e sim contribuir para registrar estas iniciativas e fazer com que elas cheguem a um público ainda maior, reforçando a importância que o Carnaval tem na cidade. “Entendemos que o carnaval é um grande movimento popular formado por diversas ações e o prêmio foi criado para somar e se tornar uma plataforma de incentivo aos atores desta festa”, afirma.

O cantor, ator e entusiasta do carnaval Marcelo Veronez – um dos jurados do Fuzuê – concorda que a premiação pode contribuir para valorizar o carnaval da cidade e que o prêmio não é uma competição. “Está sendo oferecido um prêmio a um destaque, de uma forma muita aberta. Eu também não gosto dessa coisa de ser o melhor ou o pior, acho isso muito cafona, principalmente no carnaval de BH, que é uma festa que se multiplicou absurdamente nos últimos 10 anos”, diz. “Isso faz com que seja impossível realizar uma curadoria que passe por todos os aspectos, todos os blocos, todas as manifestações. É um recorte. É bom que tenha um grupo de pessoas variado fazendo esse recorte, um grupo que seja grande, mas não deixa de ser um recorte”, analisa.

Flávio Renegado, Ed Marte, Zaika dos Santos, Maurício Tizumba, Nenel, Marcelo Veronez, Chaya Vazquez, Renata Chamilet, Luiz Othávio (Zotha), Gedeon Messias, Elias Santos, Paula Manata, Flora Silberschneider, Bárbara Dutra, Fred Paulino, Pedro Guadalupe, Criola e Djonga foram responsáveis por escolher os finalistas. “Foram escolhidas pessoas que participam ativamente da cena carnavalesca, mesclando artistas, jornalistas e pessoas ligadas à cultura”, conta Tomás.

A produtora, redatora e carnavalesca Renata Chamilet foi uma das pessoas que contribuiu com a curadoria. “Não acompanhei todos os blocos, mas fui atrás dos que eu não fui e fiz um trabalho de pesquisa mesmo, de ler reportagens, de ir na página de blocos, procurar vídeos. Meu recorte foi baseado na minha experiência, na vivência de profissional que atua no carnaval e de foliã – eu só virei profissional de carnaval porque antes eu já era foliã – e também dessa pesquisa: o que eu não consegui ver in loco, fui atrás de cruzar essas informações”, relata.

Elias Santos, locutor, apresentador e presidente da Empresa Mineira de Comunicação (Rádio Inconfidência e Rede Minas) também participou da seleção dos indicados e afirma que não foi fácil. “Foi bem complicado o processo de curadoria porque não dá pra gente ver tudo que está acontecendo no carnaval. Para montar minha seleção, eu tive que fazer uma consulta com outras pessoas, então eu acabei dividindo um pouco a responsabilidade, peguei um apanhado geral e, no final, tive que bater o martelo. Mas foi muito legal e, nesse processo, a gente vê que o carnaval de BH cresceu muito e já se profissionalizou”, comemora.

Até 16 de março, é a vez do público votar. No final, R$ 30 mil serão distribuídos entre os escolhidos de cada categoria. “Premiações são sempre importantes. É claro que é a primeira edição, então espero que dê certo. Acho que uma grande sacada desse prêmio é essa diversidade, você vai desde os blocos de rua até as escolas de samba, passando pelas ações sociais, pelas personalidades. Eu acho que as categorias, pela diversidade, vão acabar fazendo as pessoas entenderem e valorizarem o prêmio. Então espero que tenha vida longa!”, diz Elias.

O resultado final será anunciado em uma festa na Serraria Souza Pinto, no dia 18 de março, com  atrações locais que representam a pluralidade da folia de BH e também artistas de cidades conhecidas nacionalmente por seu carnaval. A programação inclui shows de  MC Loma e as Gêmeas Lacração (PE), Àttøøxxá (BA), Orquestra Voadora (RJ), Chama o Síndico, Sagrada Profana, Quando Come se Lambuza e Baião de Rua.

Serviço

Prêmio Fuzuê do Carnaval de BH

Votação: De 09 a 16 de março no endereço bit.ly/VotacaoFuzue

Final – festa com MC Loma (PE), Àttøøxxá (BA), Orquestra Voadora (RJ), Chama o Síndico, Sagrada Profana, Quando Come se Lambuza e Baião de Rua

Quando? 18 de março, a partir das 16h

Onde? Serraria Souza Pinto – avenida Assis Chateaubriand, 809, Centro

Ingressos? R$10 (meia) e R$20 (inteira)

Link para compra online?  bit.ly/IngressosFuzue

Informações? www.facebook.com/fuzuedecarnaval

Roberth Costa

Roberth Costa é publicitário, repórter e editor no Bhaz.

Comentários