Home Notícias BH Aplicativos impulsionam a arte de fazer política e aproximam parlamentar e eleitor

Aplicativos impulsionam a arte de fazer política e aproximam parlamentar e eleitor

A arte de fazer política ganha novos formatos e desafia políticos a ficarem ligados também em inovações tecnológicas. Na Câmara Municipal de Belo Horizonte (CMBH) pelo menos dois dos 41 vereadores já estão colhendo frutos da era digital nos seus mandatos no legislativo municipal com o uso de aplicativos (app) que os deixam em contato direto com eleitores. A moda já pegou e se espalha pelo país em estados como São Paulo e Santa Catarina.

Estreante como vereador, Gabriel Azevedo (PHS) é pioneiro no uso do app para conversar com os moradores da capital e orientar decisões em seu mandato. Ele conta que desde o primeiro dia no legislativo já usava o app Meu vereador, desenvolvido para nortear sua atuação na Câmara.

“Por meio do aplicativo, os eleitores podem acompanhar a pauta dos trabalhos, projetos a serem votados, sugerir outros e ainda apontar os problemas da cidade”, explica Azevedo. Ele conta que o seu app já tem dez mil downloads e tem pelo menos cinco mil pessoas ativas todos os dias. Ou seja, caiu no gosto popular.

“Tivemos 200 votações desde que iniciei o meu mandato, e em pelo menos três delas eu mudei o voto em razão das alegações dos eleitores”, conta o vereador. Ele citou como exemplo a proposta de aumento de 10% para servidores da Câmara Municipal, que não era vista com bons olhos pelos cidadãos e ainda a votação de criação de datas comemorativas. “As pessoas podem votar nos projetos até uma hora antes do início da sessão no plenário e assim podemos avaliar a aceitação”, conclui.

No gosto dos políticos

O vereador Gabriel Azevedo explicou que ele faz parte da Rede de Ação Política pela Sustentabilidade (Raps), que congrega partidos e políticos de vários estados e, por meio dela, seu aplicativo ficou conhecido e despertou o desejo em outros políticos de fazer uso do instrumento. Azevedo contou que em razão do alto custo, o aplicativo Nosso Mandato, foi desenvolvido por meio do Instituto de Inteligência Política e usado em sistema de cooperativa. “Isso possibilitou a aplicação”, diz o vereador.

E que o diga o colega de legislativo de Azevedo, Doorgal Andrada (PSD). Ele conta que aderiu ao app Nosso Mandato e, em apenas 48 horas, 200 pessoas já se cadastraram e 40 delas já votaram em projetos que serão analisados pela Câmara Municipal. Além disso, os eleitores apresentaram várias necessidades da cidade como a falta de iluminação, buracos em vias e acúmulo de lixos. “Pelo app é possível também agendar uma entrevista com o cidadão”, diz Doorgal.

O vereador, que está em seu primeiro mandato, não consegue disfarçar seu entusiasmo com o novo auxiliar. Ele diz que o celular hoje é o melhor amigo dos usuários e, na política, ganha como melhor forma de participação. “Com o celular, as pessoas podem opinar, comentar, sugerir e ainda acompanhar gastos do vereador. Isso fora do app é uma dificuldade para localizar em sites. Além disso, não existe rejeição, portanto, é uma tendência a política”, diz Doorgal.

NOSSO MANDATO EM DESTAQUE NO PLENÁRIO Lancei ontem o aplicativo “Nosso Mandato”, que permite a participação direta do cidadão nas minhas atividades na Câmara Municipal de BH. (Saiba mais: https://www.facebook.com/doorgalandradabh/videos/2052184648370415/) Hoje, a iniciativa foi elogiada em plenário pelo colega vereador @gabrielazevedo , pioneiro na utilização de um aplicativo para se conectar aos eleitores. Agradeço a ele pelas palavras. É um apoio que me estimula a seguir em frente com novas formas de fazer política, com mais transparência e representação efetiva do cidadão. O que importa é reaproximar as pessoas de seus representantes eleitos e recuperar sua confiança na capacidade de transformação da atividade política. Assista a fala do Gabriel no vídeo abaixo.

Uma publicação compartilhada por Doorgal Andrada (@doorgalandradabh) em

Comentários