Home Veículos Acelera aí [Acelera Aí] Saiba como anda a versão do Renault Duster 1.6 com câmbio CVT

[Acelera Aí] Saiba como anda a versão do Renault Duster 1.6 com câmbio CVT

Sabe aquele câmbio CVT que está disponível para o Captur? Ou melhor, sabe aquele conjunto mecânico motor 1.6 mais câmbio CVT que equipa o Nissan Kicks? Pois é, ele está presente também no Duster como uma opção para quem quer aposentar o pedal da esquerda e não quer gastar muito. Andamos na versão Dynamique, a topo de linha.

 

 

O mercado de utilitários-esportivos compactos no Brasil é um verdadeiro ringue, no qual chegam a todo momento desafiantes, mais modernos e competitivos, que querem o “cinturão” de campeão de vendas ou, no mínimo, ficarem bem colocados nesse disputadíssimo ranking. O Duster tem muitas qualidades (amplo espaço interno, boa relação custo/benefício e bom conjunto mecânico), mas como ainda conserva praticamente o mesmo visual de quando foi lançado, em 2011, a Renault vai colocando novos atrativos no SUV enquanto a nova geração (já lançada na Europa) não chega.

 

 

Devido à boa distância entre-eixos (de 2,67m), o Duster tem um amplo espaço interno que oferece conforto para cinco adultos e quem vai no banco traseiro não fica se espremendo. Com capacidade de 475 litros, o porta-malas também oferece espaço para aquela bagagem de férias longas ou aquela compra de mês de uma grande família. Por outro lado, o acabamento interno é bem simples e poderia ser mais caprichado, embora a versão avaliada (Dynamique) tenha revestimento em couro nos bancos, detalhes em marrom nas saídas de ar e em black piano no console central, que dão um toque de elegância ao interior.

 

 

A posição de dirigir é boa, com relativa visibilidade em todas as direções, mas falta regulagem de distância da coluna de direção e alguns comandos não estão bem posicionados, como os do controle automático de velocidade e do modo Eco de direção. Por outro lado, os instrumentos do painel e a tela de sete polegadas do sistema multimídia (bem fácil de operar) possibilitam boa visualização pelo motorista. A direção, com assistência eletro-hidráulica, tem boa calibragem; e a suspensão absorve bem as irregularidades do piso e tem baixo nível de ruídos para um SUV.

 

 

A grande novidade, que é a oferta do câmbio CVT, é muito bem vinda, pois traz conforto para quem enfrenta principalmente o pesado trânsito das grandes cidades e não quer ficar trocando de marcha. Outro ponto positivo é o baixo nível de consumo de combustível quando se usa o modo Eco: na cidade, com gasolina, ar ligado e apenas o motorista, o computador de bordo registrou médias em torno de 9,5km/l; e, na estrada, em torno de 12km/l, na mesma condição. Por outro lado, para que o Duster com CVT fique mais esperto, é melhor desligar o modo Eco e recorrer às trocas manuais.

Texto e fotos: Eduardo Aquino

 

 

Ficha Técnica

Motor – Dianteiro, quatro cilindros em linha, 16V, 1.597cm³ de cilindrada, que gera potências de 118cv (gasolina) e 120cv (etanol), ambas a 5.500rpm, e torque de 16,2kgfm (gasolina e etanol) a 4.000rpm

Câmbio – Tração dianteira e câmbio automático do tipo CVT, com seis marchas simuladas

Suspensão – Independente, do tipo McPherson na dianteira; e eixo de torção na traseira

Freios – A discos, sendo ventilados na dianteira e sólidos na traseira

Direção – Assistência elétrica

Dimensões – Comprimento, 4,32m; altura, 1,68m; largura, 1,82m; e entre-eixos, 2,67m

Rodas e pneus – De liga leve de 16 polegadas, calçadas com pneus 215/65 R16

Porta-malas – 475 litros

Tanque – 50 litros

Peso – 1.240 quilos

 

 

Principais equipamentos de série – Controles de estabilidade e tração, banco do motorista com regulagem de altura, vidros elétricos nas quatro portas, coluna de direção com regulagem de altura, travas elétricas, controle automático de velocidade, câmera de ré, volante revestido em couro, retrovisores elétricos, computador de bordo, central multimídia com tela de sete polegadas, GPS e comandos de som atrás do volante.

Preço – R$ 83.590. Com pintura metálica, R$ 85.190.

Comentários

Acelera Ai

Acelera Ai

Jornalistas Eduardo Aquino e Luís Otávio Pires são os editores do site Acelera Aí e da seção veículos do portal Bhaz

Carregar mais em Acelera aí