Home Notícias BH SetraBH reafirma que ônibus vão parar de circular caso aconteçam novos ataques

SetraBH reafirma que ônibus vão parar de circular caso aconteçam novos ataques

O Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros de Belo Horizonte (SetraBH) reafirmou nesta quarta-feira (13) que caso algum ônibus do transporte coletivo da capital seja incendiado, a circulação será interrompida entre 21h e 4h.

Na última sexta-feira (8), o SetraBH publicou uma nota na qual colocou o fim dos ataques aos ônibus como condição para que a circulação não seja interrompida. Os ataque começaram no dia 3 de junho e atingiram 40 municípios do Estado, incluindo Belo Horizonte, onde três ônibus foram incendiados. Em todo o Estado, foram 69 ônibus incendiados.

Perguntado pelo Bhaz se a circulação já poderia ser interrompida na noite de hoje devido ao fato de um coletivo ter sido incendiado em Vespasiano, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, o SetraBH informou que como a ocorrência aconteceu em outra cidade, a interrupção não ocorreria. Mas reafirmou que se os ataques forem feitos a ônibus do sistema de Belo Horizonte, prevalecerá o conteúdo da nota de sexta-feira.

Apesar do posicionamento do sindicato, a BHTrans, empresa que gerencia o trânsito de Belo Horizonte, afirma que as viagens dos ônibus do transporte coletivo serão realizadas nos horários estipulados  e sem nenhuma interrupção do serviço.

“É importante a garantia do serviço”, destaca a empresa, afirmando que os serviços não podem ser interrompidos. Na nota do sindicato, é feito um apelo às autoridades para elas impeçam que ações como essas aconteçam pela cidade. “O SetraBH solicita empenho na adoção de medidas que sanem em definitivo os problemas gerados pela ação continuada de criminosos”, afirmam.

Porém, de acordo com a BHTrans, caso alguma viagem não aconteça, as empresas concessionárias poderão sofrer punições, visto que o contrato que rege o serviço de transporte coletivo da cidade precisa ser cumprido.

Outro aspecto apresentado pela BHTrans e que inviabilizaria a interrupção dos serviços é o fato de a cidade não parar. “Como ficaria o trabalhador que deixa o serviço na madrugada, assim como o turista que pretende conhecer a cidade?”, questiona a empresa.

Comentários

Vitor Fórneas

Vitor Fórneas

Jornalista no Portal Bhaz

Carregar mais em BH