O mês em que se comemora o Dia das Crianças também é uma oportunidade para repensar e reforçar os cuidados que devemos ter visando evitar acidentes com a rede elétrica. Os dados mais recentes da Associação Brasileira de Conscientização para os Perigos da Eletricidade (Abracopel) revelam que essas ocorrências envolvendo crianças de 0 a 15 anos aumentaram 30% em 2017, comparando com o ano anterior.

As principais causas de acidentes com crianças de até cinco anos estão nas próprias casas. Por isso, é preciso ter cuidado com tomadas sem proteção, fios desencapados e extensões e aparelhos energizados. Já as vítimas que têm de 5 a 15 anos se acidentam principalmente ao tentar retirar pipas da rede elétrica, em contatos com cercas elétricas clandestinas, postes, grades e varais energizados, carregador de celular, além de cabos e fios desencapados na rua.

De acordo com o engenheiro eletricista da Cemig, Demetrio Aguiar, todas essas causas podem ser facilmente combatidas. Ele recomenda que os pais utilizem os protetores de tomada em toda a casa e não sobrecarregue os benjamins.

“Além disso, é importante que o cliente instale um dispositivo diferencial residual, aparelho semelhante a um disjuntor e obrigatório pelas normas da ABNT desde 1997, que protege as pessoas e animais contra choque elétrico”, conta Demetrio ao explicar que o aparelho detecta a fuga de corrente e desliga o circuito imediatamente, evitando o choque. “Desta forma, a criança estará protegida mesmo que ela coloque o dedo ou introduza algum material na tomada”, frisa.

Orientações para evitar acidentes

Para evitar os acidentes relatados, Demetrio recomenda ainda que as crianças nunca tentem resgatar pipas ou utilizem cerol e linha chilena. Ele chama a atenção também para a variedade de equipamentos que hoje despertam o interesse dos pequenos, como os DVD e blu-ray players, videogames, celulares e brinquedos com bateria interna recarregável. “Os cuidados devem começar já na hora da escolha do presente, observando a faixa etária indicada e a voltagem do equipamento, em caso de aparelhos eletrônicos”, alerta.

O cuidado ao fazer a instalação de cerca elétrica em residências também deve estar no radar dos pais. “É fundamental que os consumidores contratem profissionais experientes e habilitados para instalação de equipamentos elétricos como a cerca”, orienta Demetrio.

É preciso ainda revisar as instalações elétricas das residências no mínimo a cada dez anos e não se deve fazer gambiarras ou gatos. Nos casos de fios partidos na rua, a Cemig orienta o cliente a isolar o local e ligar imediatamente para telefone de número 116.

Além das orientações e dicas citadas, a companhia reforça os cuidados que devem ser tomados no dia a dia, quando o assunto é energia elétrica:

  • Evitar o uso de aparelhos durante tempestades e desligá-los ao sair de casa;
  • Não recarregar aparelhos em cima de camas e sofás e próximo a cortinas, toalhas de mesa ou qualquer material combustível;
  • Apenas os pais manusear os aparelhos que requerem o uso de carregadores elétricos;
  • Verificar se a tensão de entrada dos carregadores é compatível com a da instalação;
  • Utilizar o carregador específico de cada aparelho;
  • Em caso de defeito, não desmontar o aparelho. Deve-se procurar a assistência técnica especializada;
  • Evitar a ligação de vários aparelhos na mesma tomada para não gerar sobrecorrente e curto circuito;
  • Não ligar os aparelhos em locais sujeitos a alagamento, chuva e umidade (quintais, jardins, banheiros e pias).