Home Variedades Balconista de farmácia compra remédio com o próprio dinheiro para ajudar cliente de madrugada

Balconista de farmácia compra remédio com o próprio dinheiro para ajudar cliente de madrugada

Um balconista de uma farmácia resolveu tirar dinheiro do próprio bolso para ajudar a mãe de um garoto, de 9 anos, que buscava por um medicamente durante a madrugada. Igor Alves foi até a casa da vendedora Patrícia Zaidan para levar o remédio às 2h da manhã. O caso aconteceu no mês passado, em São Paulo (SP), mas repercutiu nas redes sociais durante a última semana.

A saga de Patrícia começou quando Guilherme, de 9 anos, teve uma crise forte de asma bem de madrugada e um dos remédios que ele usa, já prescrito por médicos, tinha acabado. A mãe do garoto telefonou para diversas drogarias e buscou o medicamente em aplicativos, mas não conseguia efetivar a compra.

“Trocamos a medicação recentemente e ele não tinha se adaptado muito bem. Durante as crises mais fortes, usamos o Aerolin. Quando peguei o remédio, vi que estava no finzinho”, contou Patrícia ao BHAZ.

Patrícia então telefonou para uma unidade da rede Drogaria São Paulo, próxima a sua residência. O balconista do estabelecimento, Igor, atendeu à ligação e explicou que a farmácia não fazia entrega de madrugada. Contudo, o atendente decidiu questionar mais a cliente sobre o motivo da urgência.

Gentileza e agilidade

O balconista da farmácia entendeu a situação de Patrícia e perguntou como ela faria o pagamento. A mãe de Guilherme disse que seria no cartão. Como o balconista não poderia sair da loja com a máquina de cartão, ele decidiu comprar o medicamento com o próprio dinheiro.

“Ela ia desligar o telefone, mas então eu perguntei se era urgente. Ela me explicou a situação e foi aí que tive a ideia de comprar o remédio e levá-lo em minha moto até a casa dela”, relatou o balconista ao BHAZ.

Em dez minutos, o balconista chegou com o remédio para o garoto. Ele entregou o medicamento e conversou um pouco com a mãe do menino. Patrícia explica que já tinha transferido o dinheiro para Igor, mas ele insistiu que não precisava se preocupar, o que importava mesmo era a saúde do garoto.

“Ela já havia transferido o dinheiro, inclusive colocou R$ 15 a mais. Era R$ 35 e ela depositou R$ 50. Eu expliquei que não precisava”, relata o balconista.

Igor disse que foi uma atitude humana, que acha ser um dever de todos. “Eu sou pai de duas crianças. Saio de madrugada todos os dias de coração apertado de deixar minha esposa e filhos. Eu pensei muito neles. Se um dia eles passarem mal, se acontecer algo, espero que alguém possa fazer por eles algo do tipo. Eu tenho muita fé. Deus trabalha com esse tipo de coisa, ele age na nossa vida dessa forma. Ele coloca pessoas que não conhecemos no nosso caminho para ajudar de forma grandiosa”, conta.

Encontro e agradecimento

Mãe e filho fizeram questão de ir até a drogaria agradecer pessoalmente. O garoto ainda deu um desenho de Papai Noel para Igor e uma caixa de chocolates.

“Consegui agradecer direito, choramos os dois juntos. Pedi para tirar uma foto dele com meu filho. Foi algo muito bonito. Alguém que sai da sua zona de conforto para ajudar desse modo, principalmente pelo horário”, explica Patrícia.

Segundo a vendedora, ele já marcaram um encontro entre as duas famílias. “Não acredito que as coisas são por um acaso, tem muito mais além do que podemos imaginar. É uma amizade que foi construída e vai perdurar”, completa a vendedora.

Por e-mail, a gerência da Drogaria São Paulo parabenizou o balconista pela atitude, reforçando que foi um atendimento de excelência. “Recebi muitos e-mails de agradecimento, me parabenizando. Depois disso ainda tiveram reuniões, usaram minha foto com o Gui e o assunto foi debatido pela diretoria”, completa Igor.

Vitor Fernandes

Vitor Fernandes

Jornalista no Portal BHAZ

Comentários