Home Notícias Política Zema promete economia de R$ 1 bi em quatro anos com reforma; parcelamento dos servidores continua

Zema promete economia de R$ 1 bi em quatro anos com reforma; parcelamento dos servidores continua

O governador de Minas, Romeu Zema (Novo), apresentou na manhã desta terça-feira (5) o projeto de reforma administrativa da sua administração. A proposta oficializa o corte de secretarias e a redução do funcionalismo público, prevendo a economia de R$ 1 bilhão nos próximos quatro anos de sua gestão.

Segundo Zema, houve um corte de 47% nas secretarias, reduzindo o número de 21 pastas para 12. “Antes, o custo total dessas secretarias era de R$ 815 milhões, agora será de R$ 580 milhões. Uma economia de R$ 235 milhões por ano”, disse o chefe do executivo estadual.

Ainda de acordo com Zema, o governo deve adotar outras medidas de austeridade. “Isso é somente a ponta do iceberg. É uma situação delicada que não será resolvida de imediato”, afirma o administrador.

Para o secretário de Planejamento, Otto Alexandre, está previsto um corte de 60% nos 6 mil cargos comissionados do Estado, algo em torno de 3,6 mil servidores. “Além da economia, esse corte reduz o tamanho do Estado e deixa mais eficiente para prestar um serviço melhor e mais rápido para o contribuinte mineiro”, afirmou.

Também estiveram presentes na reunião o secretário de Fazenda, Gustavo Barbosa, e o deputado líder de governo na Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG), Luiz Humberto.

O primeiro projeto de lei do Governo Zema deve ser protocolado na ALMG ainda hoje. É preciso que os deputados da Casa aprovem a medida para que ela seja implementada. Na última sexta (1º), durante a posse dos deputados, o governador já havia adiantado que enviaria a proposta e pediu apoio.

Salário dos servidores

Segundo o secretário de Fazenda, Gustavo Barbosa, a medida não será suficiente para acabar com o parcelamento de salário dos servidores do Estado. “Há uma folha de pagamento de mais de R$ 3 bilhões por mês. Nós estamos apresentando aqui uma economia de R$ 1 bilhão, em quatro anos. Ainda precisamos fazer muito mais para remodelar esse pagamento em escala. Por enquanto, vai permanecer a forma como está colocada”.

Ainda de acordo com o secretário, não há previsão para a divulgação da escala de pagamento dos servidores referente ao mês de janeiro, que é pago em fevereiro.

Comentários