Home Notícias Minas Gerais Mãe, à procura de oportunidade, foi surpreendida pelo furto praticado pelo filho: ‘Vai ficar muito tempo de castigo’

Mãe, à procura de oportunidade, foi surpreendida pelo furto praticado pelo filho: ‘Vai ficar muito tempo de castigo’

Um furto registrado na cidade de Patos de Minas, no interior de Minas, na terça-feira (12) se tornou notícia em todo o Brasil – e sensibilizou milhares. Um adolescente de 14 anos foi detido após furtar um fichário de uma papelaria para estudar. Com a mãe desempregada e o pai preso, o menino enxergou no delito a única forma de “inaugurar” as aulas neste ano. Sem material, o estudante ainda não havia comparecido ao colégio, cujo ano letivo começou na última quinta-feira (7).

O garoto foi flagrado furtando o fichário pela câmera de segurança da papelaria e detido, dentro da escola, pela Polícia Militar. Ele se desculpou aos policiais, e devolveu todo o material (inclusive as três folhas nas quais já havia escrito), avaliado em R$ 8 (clique aqui para ler mais). Logo após a divulgação do caso, os canais de comunicação do BHAZ foram inundados de mensagens de pessoas querendo ajudar o adolescente (saiba como ajudar aqui).

A reportagem, então, foi atrás da mãe do garoto para entender um pouco mais a história. “Sou cabeleireira e estou desempregada desde que me mudei de residência, há cerca de sete meses. Eu usava um cômodo como salão, mas aqui é muito pequeno, não tem como”, explica a mulher de 34 anos que terá o nome preservado em respeito à identidade do adolescente. “O pai dele está preso, mas me separei dele já faz dez anos. Me casei de novo com um servente”.

Ela explicou que, apesar da situação dos pais biológicos, o padrasto está trabalhando e receberia na próxima sexta-feira. “Meu filho disse que estava precisando de material, falou que estava precisando de folha pra escrever. Eu pedi que ele esperasse até sexta, quando meu marido recebe. Mas ele resolveu arrumar dessa forma”, conta. “E ele foi até a minha mãe antes de ir pra escola, pensei que ela havia comprado pra ele. Quando me chamaram falando que ele tinha furtado, fiquei desesperada”.

A cabeleireira diz, ainda, que o garoto é estudioso e nunca havia feito algo semelhante. “Nunca me deu trabalho. Ele é só da escola para casa”, diz. “Fiquei muito brava. Ele se arrependeu, pediu desculpas, mas está de castigo, sem internet, sem ir para a casa da avó e da tia, onde ele vai direto. Vai ficar muito tempo de castigo, uma semana é muito pouco”, afirma. “Até eu perceber que ele merece ser liberado do castigo”, completa.

Pessoas ligadas à escola do adolescente ouvidas pelo BHAZ reforçaram que o garoto é estudioso. O caso sensibilizou um grupo de Patos de Minas, que vai receber as doações de todo o país (exceto dinheiro, apenas material didático e de higiene pessoal) e distribuir à família do adolescente, e bairros e escolas da cidade que estejam precisando dos produtos (saiba mais aqui).

Comentários