Home Notícias BH Médica belo-horizontina surpreende com receita para jovem que tentou suicídio

Médica belo-horizontina surpreende com receita para jovem que tentou suicídio

A médica belo-horizontina Júlia Rocha, que também é cantora, voltou a surpreender fãs e seguidores que a acompanham nas redes sociais. Depois de brilhar na tela da Globo, no The Voice Brasil, e de viralizar com um texto em que “respondeu” um colega de profissão sobre um paciente que não sabia pronunciar a palavra “pneumonia”, ela virou alvo de elogios por conta de uma receita prescrita para um jovem negro que estava em depressão e tentou suicídio.

+ Resposta de médica a plantonista que zombou de paciente viraliza 

Júlia mostrou a receita e as “medicações” indicadas ao paciente por meio de um post feito no Instagram na última semana. Na legenda, relatou que o rapaz havia tentado tirar a própria vida por não conseguir “corrigir” a sexualidade dele. “Gravemente deprimido, há cerca de 2 meses tentou se matar usando os remédios do pai. Ficou internado em estado grave!”, escreveu.

 

Visualizar esta foto no Instagram.

 

#tbt de uma médica de família braba

Uma publicação compartilhada por J Ú L I A R O C H A (@cantorajuliarocha) em

“A família já estava mobilizada para apoiá-lo mas pra mim ele precisava se aprofundar no entendimento do seu lugar social como um homem gay, negro e periférico. Tem horas que só enxergando e conhecendo as estruturas que nos oprimem pra conseguir dar o próximo passo”, continuou a médica que, para surpresa de muitos, indicou que o rapaz buscasse referências como parte do tratamento. Na lista estavam os youtubers negros AD Júnior e Spartakus Santiago, além das intelectuais negras Conceição Evaristo, Djamila Ribeiro e Juliana Borges.

Conceição Evaristo, Spartakus, AD Júnior e Djamila Ribeiro foram algumas das referências (Reprodução/Instagram)

“Prescrevi a leitura do livro ‘O que é racismo estrutural’ do Silvio Almeida. Falamos de intolerância, de espiritualidade, de afeto… Entreguei esta receita impregnada de um desejo imenso de vê-lo melhor”, explicou a médica para, em seguida, contar ter encontrado o paciente em um corredor dias depois. “Hoje eu o encontrei no corredor. Ele sorriu e me deu um longo abraço. Aquele instante durou uns anos. ‘Tudo bem?’ ‘Estou melhor. Bem melhor…. Li o livro…. passei a receita pra outros amigos….’ ‘Que bom!’ ‘Quero marcar meu retorno com você.’ ‘Alguma novidade?’ E ele se aproximou pra falar o segredo: ‘Tô namorando.'”, finalizou.

O post de Júlia viralizou e tem recebido centenas de comentários desde então. A maioria deles elogia a postura da médica. “Que coisa mais linda de ler!!! Por mais profissionais incríveis como você”, escreveu uma internauta. “Que emocionante”, disse outra. “Isso é atendimento humanizado, muito feliz por esse rapaz”, ponderou um terceiro usuário da rede social.

Veja o post na íntegra abaixo!

 

Visualizar esta foto no Instagram.

 

ILUMINADO Há cerca de 15 dias fiz essa prescrição para um paciente muito querido. Um jovem negro de 22 anos, evangélico, gay, trabalhador. Gravemente deprimido, há cerca de 2 meses tentou se matar usando os remédios do pai. Ficou internado em estado grave! Carregava consigo uma enorme culpa por, segundo ele, não conseguir “corrigir sua sexualidade” e seu afeto. Ele já estava em acompanhamento psicológico e psiquiátrico. Já estava usando medicações. A família já estava mobilizada para apoiá-lo mas pra mim ele precisava se aprofundar no entendimento do seu lugar social como um homem gay, negro e periférico. Tem horas que só enxergando e conhecendo as estruturas que nos oprimem pra conseguir dar o próximo passo. Pedi para que ele buscasse pelo Spartakus Santiago, pelo AD Júnior, dois jovens negros e gays que compartilham suas vivências e aprendizados nas redes sociais. Indiquei acompanhar intelectuais negras: Conceição Evaristo, Djamila Ribeiro e Juliana Borges. Prescrevi a leitura do livro ‘O que é racismo estrutural’ do Silvio Almeida. Falamos de intolerância, de espiritualidade, de afeto… Entreguei esta receita impregnada de um desejo imenso de vê-lo melhor. Hoje eu o encontrei no corredor. Ele sorriu e me deu um longo abraço. Aquele instante durou uns anos. “Tudo bem?” “Estou melhor. Bem melhor…. Li o livro…. passei a receita pra outros amigos….” “Que bom!” “Quero marcar meu retorno com você.” “Alguma novidade?” E ele se aproximou pra falar o segredo: “Tô namorando.”

Uma publicação compartilhada por J Ú L I A R O C H A (@cantorajuliarocha) em

Roberth Costa

Roberth Costa é publicitário, repórter e editor no Bhaz.

Comentários