Home Notícias Brasil Repórter assediada ao vivo após clássico Fla x Flu desabafa: ‘Tomei todas as providências legais’

Repórter assediada ao vivo após clássico Fla x Flu desabafa: ‘Tomei todas as providências legais’

Uma repórter da FOX Sports foi assediada por um torcedor enquanto cobria a movimentação no Maracanã, no Rio de Janeiro, após o jogo entre Flamengo e Fluminense, nessa quinta-feira (15). Karine Alves estava em uma transmissão ao vivo quando o homem se aproximou e tocou um dos ombros dela. A profissional desviou e, pouco tempo depois, o torcedor voltou para tentar beijá-la. Ela, por sua vez, novamente evitou o contato e seguiu repassando as informações.

 

Visualizar esta foto no Instagram.

 

O Maracanã, templo de tantos grandes jogos e golaços, hoje foi palco de mais um episódio de assédio com uma jornalista. Dessa vez, a vítima foi a repórter e apresentadora Karine Alves, do FOX Sports. Até quando vamos ter que trabalhar inseguras, reféns do machismo? Não demorou muito para 2019 nos mostrar que os assediadores ainda estão por todos os lados e que eles vestem todas as camisas. O incêncio no Ninho do Urubu completou uma semana, mas nem mesmo o clima de homenagens às vítimas impediu que mais um homem tentasse tirar proveito de uma repórter durante o exercício da sua profissão. @karinealveska foi forte e profissional, não se deixou abalar, não deixou que sua voz fosse silenciada. A voz dela é a nossa e mais uma vez repetimos, juntas: #DeixaElaTrabalhar. Nós repudiamos todo tipo de assédio, misoginia e machismo, seja ele velado ou escancarado.

Uma publicação compartilhada por DeixaElaTrabalhar (@deixaelatrabalhar) em


Nas redes sociais, o assédio sofrido pela jornalista virou assunto. Internautas relembraram a campanha “Deixa ela trabalhar”, em que mulheres reivindicam não ser alvo de assédio enquanto atuam em coberturas, principalmente relacionadas a esportes. Karine, por sua vez, recorreu ao Instagram para desabafar sobre o assunto.

“Primeiro: MUITO OBRIGADA por todas mensagens de apoio e carinho que recebi em relação ao que aconteceu comigo na entrada ao vivo durante a cobertura do FLA x FLU. É sobre o respeito à profissão do próximo”, escreveu a repórter em um trecho do post, que já conta com centenas de comentários.

Veja abaixo!

 

Visualizar esta foto no Instagram.

 

Primeiro: MUITO OBRIGADA por todas mensagens de apoio e carinho que recebi em relação ao que aconteceu comigo na entrada ao vivo durante a cobertura do FLA x FLU. É sobre o respeito à profissão do próximo. Sou mulher, mas também jornalista, apresentadora e repórter. Ninguém tem o direito de desrespeitar uma pessoa, ou alguém durante o trabalho…seja forçando um contato físico, como um beijo ou abraço, quando não há consentimento. O nome correto para isso é importunação sexual. Levar informação ao telespectador é a minha missão diária. E ela foi prejudicada em pleno Maracanã por um torcedor que não soube respeitar o meu trabalho. Só quero poder exercer minha função de jornalista em qualquer lugar que eu estiver trabalhando. Seguirei fazendo as coberturas de jogos nos estádios sempre que for escalada para isso, com o mesmo profissionalismo. Por isso, não posso permitir que alguém tente me impedir de exercer a minha profissão da melhor forma possível. O esporte entrou na minha carreira desde cedo. O futebol e eu estamos no mesmo time há mais de 12 anos. E em time que está vencendo não se mexe… se “treina” muito pra ganhar de qualquer adversário seja qual for o campo, na frente ou atrás das câmeras. Quanto ao que aconteceu no FLA x FLU, nesta quinta-feira, já tomei todas as providências legais cabíveis que estavam ao meu alcance. Ah! E eu escolhi colocar esta foto no post, porque é essa imagem que desejo que o telespectador possa ver: uma repórter exercendo o seu trabalho com dignidade. #jornalismo #trabalho #reportagem #maisrespeito #futebol

Uma publicação compartilhada por Karine Alves (@karinealveska) em

Roberth Costa

Roberth Costa é publicitário, repórter e editor no Bhaz.

Comentários