Homem é detido após ejacular em passageiras de trem; vídeo mostra confusão

Reprodução/Facebook

Um caso de importunação sexual no transporte público ganhou as redes sociais nesta semana depois que o relato de uma das vítimas viralizou no Facebook. A jovem de 22 anos pediu para que uma amiga compartilhasse o conteúdo por não querer se identificar. Ao todo, o post já conta com quase 5 mil compartilhamentos. Um vídeo que mostra o momento em que o autor do crime é detido também repercute na web.

O caso ocorreu no dia 6 de fevereiro quando a vítima estava na estação Hebraica-Rebouças, da Linha 9-Esmeralda, em São Paulo. Ela contou, no relato, que ficou incomodada ao perceber a presença de um homem atrás dela, mas que não suspeito de nada. Pouco tempo depois, sentiu algo quente cair em uma das pernas dela. Foi então que veio a confirmação: o homem estava se masturbando no local.

A jovem conta ainda que ninguém se moveu para ajudá-la diante do ocorrido e que percebeu que outra passageira chorava. O homem também havia ejaculado nela. “Foi quando senti um líquido quente invadir minha calça, na região da nádega e da perna direita. Me virei rapidamente para ver o que havia acontecido, e foi quando vi que o homem estava com o pênis para fora e continuava fazendo movimentos”, escreveu.

“Imediatamente comecei a gritar para que ele parasse, e foi quando se assustou e parou. Tinha uma menina ao meu lado aos prantos e com a mão toda suja daquele líquido nojento. Assustada e sem acreditar no que estava acontecendo, comecei a gritar muito e muito alto pedindo ajuda, mas NINGUÉM me ajudou. Segurei ele com toda minha força, não queria que ele escapasse. Continuei gritando e pedindo pelo amor de Deus que alguém me ajudasse, e mesmo assim, todos continuavam imóveis dentro daquele vagão. Tinha homens, mulheres, jovens e pessoas mais velhas, mas ninguém me ajudou. Que tristeza e desamparo senti naquele momento”, lamentou. Clique aqui para ler na íntegra.

A jovem só conseguiu ajuda quando outras passageiros acionaram o botão do pânico no vagão e a equipe da CPTM chegou ao local. Um vídeo registrado por uma passageira mostra os desdobramentos da confusão. É possível ouvir uma mulher chorando enquanto a confusão ocorre. As imagens foram obtidas pelo G1. Assista abaixo!

Como se não bastasse o assédio sofrido, a jovem ainda precisou enfrentar a desconfiança de funcionários da CPTM. Na delegacia, o mesmo: ela disse ter se sentido desamparada no local e que não recebeu nenhuma instrução sobre o que fazer. Ainda aponta o fato de que a delegada que a atendeu foi rude. “Saí daquele lugar com minhas forças exauridas, esgotada psicologicamente, com um sentimento de fraqueza por ser mulher em um mundo ainda tão machista. Mas ao mesmo tempo me senti na obrigação de alertar as mulheres e a todas as pessoas sobre o que vivi naquele dia horroroso, principalmente sobre o fato de ter estado em uma DELEGACIA DA MULHER, onde deveria ter sido amparada, acolhida, escutada, mas ao contrário, desde o momento em que tudo aconteceu e o período em que estive na delegacia, só pensava como NÓS MULHERES estamos desamparadas em uma sociedade machista, que nos oprime e nos diminui, que deseja calar a nossa voz diante das atrocidades que acontecem todos os dias conosco”, relatou.

O BHAZ fez contato com a Polícia Civil e aguarda retorno a respeito da conduta da delegada responsável pelo caso. A CPTM, por sua vez, explicou que o homem detido foi detido e encaminhado para a 3ª Delegacia da Mulher e que abriu um procedimento interno para apurar a forma como os colaboradores agiram diante das vítimas e da situação como um todo.

Importunação sexual

O crime de importunação sexual é caracterizado pela realização de ato libidinoso na presença de alguém e sem sua anuência. O caso mais comum é o assédio sofrido por mulheres em meios de transporte coletivo, como ônibus e metrô. Antes, isso era considerado apenas uma contravenção penal, com pena de multa. Agora, quem praticá-lo poderá pegar de 1 a 5 anos de prisão.