Home Notícias Brasil ‘Fizeram minha bunda valer mais que uma medalha’: Atleta revela verdade em suposta ‘maratona de sexo’

‘Fizeram minha bunda valer mais que uma medalha’: Atleta revela verdade em suposta ‘maratona de sexo’

A saltadora olímpica brasileira, Ingrid Oliveira, tornou-se um dos assuntos mais falados durante os Jogos do Rio de Janeiro, em 2016. Mas o motivo para a repercussão não foi sua habilidade nas piscinas. “Sabe por quê? Porque eu simplesmente transei. Eles fizeram minha bunda valer mais que uma medalha olímpica”, resume a própria.

Ingrid e seu companheiro de delegação, Pedro Henrique Gonçalves, o Pepê, da canoagem slalom, tiveram um envolvimento durante todo o evento, mas algumas publicações chegaram a definir o relacionamento como “sexo selvagem” ou “maratona de sexo”. Nesta segunda-feira (25), quase três anos após o ocorrido que culminou na separação com a então dupla, Giovanna Pedroso, Ingrid resolveu desabafar, através duma publicação no portal UOL.

“Se você está lendo este relato, eu sei o que você quer saber. A fofoca da Olimpíada. Então eu vou contar a verdade. E a única verdade é que eu levei o Pedro (Pepe Gonçalves, atleta da canoagem slalom) para o meu quarto”, diz. “Mas não foi na véspera da minha competição, nem da competição dele. Ele não passou a noite comigo. Eu não expulsei ninguém do quarto. Eu não fui expulsa da Olimpíada. Colocaram de uma forma que pareço uma desmiolada”, afirma Ingrid.

O relacionamento, totalmente natural para dois jovens solteiros, sobrou para (pasmem!) a mulher, que ficou até com vergonha de andar pela Vila Olímpica. “Se alguém me olhasse, eu já pensava: “Ferrou, tá me julgando, tá me julgando”.

“Eu me torturei muito: ‘Eu tô errada, eu tô errada’… Mas, aos poucos, fui percebendo que o tratamento dado a mim não era justo. A imprensa fez um estardalhaço. A história foi totalmente distorcida. Eu queria contar a minha verdade, mas a minha técnica falava: ‘Não é o momento. Isso vai ser esquecido’. Não foi esquecido.”, relata a saltadora.

Visualizar esta foto no Instagram.

Em breve as alturas de novo 😍🔝🎈

Uma publicação compartilhada por ➝ Ingriԃ Oliʋeiɾα (@ingrid.oliveira96) em

Ingrid ainda afirma que o que muitas pessoas não sabem é que nas Olimpíadas isso é normal. “Vocês devem ter visto o número de camisinhas que eles distribuíram na Vila. Tinha no refeitório e em todos os lugares. Era para quê? Para fazer balão e sair voando?”, questiona. “O Bolt levou a menina sem credencial para o quarto. Um bando de gente fez Tinder para ficar se pegando. Acreditem, lá isso é uma coisa normal. A diferença é que outros casos não vazaram. E não havia acontecido com uma atleta mulher para que pudessem apontar o dedo”.

Muitas foram as manchetes e matérias pelo mundo todo. Mas a verdade vivida ali teria sido a menos relatada. “Só teve uma matéria, uma única no mundo inteiro, que foi a meu favor. O título era: ‘Sua mãe também transa’. Fiquei super feliz de alguém ter pelo menos tentado entender o machismo que eu sofri”, conta ao portal UOL.

A jovem ficou entre as cinco atletas mais comentadas da Olimpíada no mundo inteiro, juntamente com Simone Biles e Michael Phelps.”Eu tenho mais seguidores que o Jack Laugher, que ganhou ouro na Olimpíada. Sabe por quê? Porque eu simplesmente transei. Eles fizeram minha bunda valer mais que uma medalha olímpica.”

Comentários