‘Parar de fingir que não existe’: ‘Então, Brilha!’ protagoniza firme discurso contra machismo

Fala ocorreu durante cortejo do bloco no Centro de BH (Duda Faria/BHAZ)

O desfile do Então, Brilha foi marcado pelo pronunciamento de uma das vocalistas do bloco sobre o machismo, na manhã deste sábado (2) de Carnaval, no Centro de Belo Horizonte.

As ruas da capital foram tomadas pelos foliões logo no começo do dia, e o recado contra a homofobia e a violência contra as mulheres mais uma vez foi passado pelos integrantes de um dos mais tradicionais blocos da capital. No cortejo, as vítimas do rompimento da mineradora Vale S.A. em Brumadinho também foram lembradas (veja abaixo).

Em determinado momento do cortejo, uma das vocalistas propôs aos foliões que eles façam uma reflexão sobre o machismo existente na sociedade. “O machismo mata. Então, meus amigos e amigas, que acham que machismo não faz tanto mal assim, olhem para os lados. As mulheres ainda ganham menos que os homens e são assassinadas. Peço que vocês pensem um pouco sobre isso”, afirmou.

O diálogo, na visão da vocalista, é a alternativa para que a situação seja mudada no país. “Homens, conversem entre si. Vamos falar sobre machismo e parar de fingir que isso não existe. Vamos fazer diferente. É só olhando para ele que vamos conseguir mudar alguma coisa”.

Homenagem às vítimas de Brumadinho

As vítimas do rompimento da barragem da mineradora Vale S.A. em Brumadinho foram homenageadas durante o cortejo do bloco.

A bateria fez uma parada e soou os tambores e na sequência a organização pediu silêncio e um dos integrantes do bloco deu o recado. “Este é um momento de alegria. Mas que a gente nunca se esqueça…a gente nunca vai se esquecer, porque gente é pra brilhar e não pra ficar debaixo de nenhuma lama”, disse.

“Vamos seguir comemorando, mas jamais deixando se ser vigilantes”, concluiu.

Vitor Fórneas
Vitor Fórneasvitor.forneas@bhaz.com.br

Repórter do BHAZ desde maio de 2017. Jornalista graduado pelo UniBH (Centro Universitário de Belo Horizonte) e com atuação focada nas editorias de Cidades e Política.