Home Notícias Política Autora de texto com informações falsas sobre repórter do Estadão trabalha para deputado do PSL em Minas

Autora de texto com informações falsas sobre repórter do Estadão trabalha para deputado do PSL em Minas

A autora do texto publicado no site ‘Terça Livre’ que culminou em ataques à jornalista do jornal Estado de S. Paulo, Constança Rezende, é funcionária do deputado estadual Bruno Engler (PSL). Fernanda Salles de Andrade é assessora do político mineiro e recebe um salário de R$ 6.543,79, com uma carga horária de 40 horas semanais.

Salário previsto para o cargo de Fernanda é de R$ 6,5 mil

A nomeação de Fernanda foi publicada no dia 2 de fevereiro no Diário do Legislativo. Entretanto, o nome dela estava errado, sendo corrigido apenas no dia 26 de fevereiro.

Bruno Engler, com apenas 21 anos, foi o terceiro deputado estadual mais votado no ano passado, com 120 mil votos. “Coordenador do Movimento Direita Minas, dedicado à retomada cultural e à promoção dos valores conservadores em Minas Gerais. A Direita Minas possui núcleos na região metropolitana de Belo Horizonte e em mais de 60 cidades do Estado”, se autodefine.

Nomeação de Fernanda foi publicada no dia 2 de fevereiro
O nome dela foi corrigido no dia 26 de fevereiro

Nesse domingo (10), um texto assinado por Fernanda e publicado no ‘Terça Livre’ atribuiu à jornalista Constança Rezende a afirmação de que ela teria intenção de arruinar o governo de Bolsonaro. Contudo, de acordo com o jornal Estado de São Paulo, a informação é falsa.

Durante a noite de ontem, o presidente Jair Bolsonaro compartilhou informações baseadas no conteúdo também com ataques à jornalista – a Abraji, Fenaj e a OAB se posicionaram sobre o assunto.

Em sua rede social, Fernanda se declara como uma apoiadora do presidente, assim como o deputado Bruno Engler, que é correligionário de Bolsonaro. Em 2017, a funcionária do gabinete de Engler se envolveu em uma confusão durante um debate no Centro Cultural da UFMG. Ela, que se define como “repórter raiz, mãe, esposa e jornalista apaixonada pela arte de contar histórias”, afirmou ter sido agredida na ocasião (relembre aqui).

Em entrevista ao jornal Estado de S. Paulo hoje, Fernanda diz que produz os textos para o site em seu tempo livre fora do trabalho. Ela confirmou ao veículo ter feito a publicação no site, porém afirmou que não é a autora do texto. “O que fiz foi uma reprodução da denúncia feita pelo jornalista francês”, disse.

O jornalista francês a quem ela se refere é Jawad Rhalib, de 53 anos, colunista do site Mediapart.

Informações são falsas

Em nota divulgada nesta segunda, o site Mediapart disse que se solidariza com a jornalista atacada pelo presidente e afirmou que as informações que serviram como base para o tweet de Bolsonaro são falsas.

“Mediapart se solidariza com a jornalista @constancarezend, vítima de ameaças. As informações publicadas no “club de Mediapart”, que serviram de base para o tweet de @jairbolsonaro, são falsas. O artigo é de responsabilidade do autor e o blog é independente da redação do jornal”, diz o texto do portal frânces.

O BHAZ tentou contato com Fernanda Salles de Andrade e com o deputado Bruno Engler, porém não obteve retorno até o fechamento desta matéria. Caso qualquer um dos dois se pronuncie sobre o caso, o material será atualizado.

Comentários