Home Notícias BH 7 momentos emocionantes do Carnaval de BH que REALMENTE devem ser compartilhados

7 momentos emocionantes do Carnaval de BH que REALMENTE devem ser compartilhados

O Carnaval de Belo Horizonte foi oficialmente encerrado nesse domingo (10). Durante os dias de festa, pudemos acompanhar alguns momentos emocionantes, realmente especiais, que valem ser revistos.

Separamos aqui nove desses momentos, com blocos como “Então, Brilha”, “PPK”, “Chama O Síndico” e “Baianas Ozadas”. Teve sirene em homenagem a Brumadinho, placas de protesto, idosos de uma casa dançando com um bloco, garis dando show e muito mais.

“Então, Brilha” toca sirene em homenagem às vítimas de Brumadinho

Um dos mais tradicionais blocos do Belo Horizonte, o “Então, Brilha”, fez uma bela homenagem às vítimas da barragem que se rompeu em Brumadinho. Veja todas as fotos AQUI.

Durante o desfile, a bateria fez uma parada e soou os tambores. Em seguida, a organização pediu silêncio e um dos integrantes do bloco deu o recado.

“Este é um momento de alegria. Mas que a gente nunca se esqueça… a gente nunca vai se esquecer, porque gente é pra brilhar e não pra ficar debaixo de nenhuma lama”, disse. “Vamos seguir comemorando, mas jamais deixando se ser vigilantes”, concluiu.

“PPK” desce a ladeira do Cristo, no Barreiro

A magia e leveza do tradicional bloco PPK (Pena de Pavão de Krishna) tomaram a região do Barreiro ainda na manhã do domingo de Carnaval. O momento mais marcante foi quando o cortejo desceu a ladeira que tem uma estátua do Cristo Redentor, na região do Barreiro. Veja todas as fotos AQUI.

O Pena de Pavão de Krishna surgiu em 2013, em Belo Horizonte. Este é o sétimo cortejo do bloco, sendo que somente o primeiro deles foi realizado no Centro de BH. A proposta do PPK, como é conhecido, é descentralizar o Carnaval: a atração já realizou desfiles no bairro Lagoinha, em Caeté e, pelo segundo ano consecutivo, corteja pelo Barreiro.

Rafael D’Oliveira/BHAZ
Rafael D’Oliveira/BHAZ
Ayron Borsari/BHAZ

“Chama O Síndico” tem desfile repleto de placas de protesto e ala inclusiva

Críticas ao governo, placas alusivas a Brumadinho, combate a homofobia. O desfile do bloco “Chama O Síndico”, na manhã do domingo de Carnaval, deu o recado e fez a festa dos foliões que compareceram no entorno do Mineirão, na região da Pampulha. Veja todas as fotos AQUI.

Milhares de pessoas participaram do cortejo que teve discursos contra o presidente do Brasil, Jair Bolsonaro (PSL), atos a favor de Lula, placas pelo fim dos assassinatos dos indígenas. Outro destaque do “Chama O Síndico” foi uma ala inclusiva para pessoas com deficiência mental e motora.

Vitor Fernandes/BHAZ
Vitor Fernandes/BHAZ
Vitor Fernandes/BHAZ
Vitor Fernandes/BHAZ
Vitor Fernandes/BHAZ

“Manjericão” canta para idosos e emociona

O Bloco do Manjericão já é um patrimônio do Carnaval de BH. Conhecida por ser seguida pelos foliões mais apaixonados, a atração tem a tradição de iniciar a concentração ainda de madrugada da Quarta-feira de Cinzas, às 4h20, em alusão à maconha.

O ponto alto do bloco foi quando o cortejo cantou a música “Carinhoso” para um casal de idosos. Os dois dançaram junto e emocionaram que acompanhava.

Bateria do “Samba Queixinho” se abaixa para que adolescente deficiente desfile

Com forte discurso político e homenagem ao Grupo Corpo, a Escola de Samba Unidos do Samba Queixinho completou seu 10º desfile no Carnaval de BH. Além de protestos, a escola também protagonizou uma linda cena de inclusão. Veja todas as fotos AQUI.

Em determinado momento do cortejo, a bateria inteira se abaixou para que a adolescente Gabriela Lemos, de 14 anos, desfilasse no meio da avenida. Ela tem dificuldades de locomoção. A cena emocionou os foliões.

A adolescente conta que, desde 2014, ela se apaixonou pelo cortejo. “Temos uma ligação muito forte, eu gosto muito do Queixinho, é um grupo que combina muito comigo”, ressalta.

Amanda Dias/BHAZ
Amanda Dias/BHAZ
Amanda Dias/BHAZ

Lavagem de escadaria da Igreja São José marca desfile do “Baianas Ozadas”

Em seu oitavo desfile no Carnaval de Belo Horizonte, o bloco Baianas Ozadas repetiu o feito dos últimos anos na segunda-feira de Carnaval: lotou a avenida Afonso Pena, na região Central da cidade. Veja todas as fotos AQUI.

Um dos momentos mais marcantes do desfile, foi quando integrantes do cortejo lavaram a escada da Igreja de São José. “É uma referência a lavagem da escadaria da Igreja do Senho do Bonfim, na colina sagrada, em Salvador. É um momento de pedir alento, paz e alegria, para a festa que vai acontecer na cidade. É um momento muito importante, significativo, para buscarmos uma energia mais positiva”, relata Geo Cardoso, fundador e vocalista do bloco.

“É a comunhão do sagrado com uma grande festa popular. De certa forma, vemos como uma bênção que a paróquia dá para essa festa, que é Carnaval de Belo Horizonte”, completa o fundador do Baianas Ozadas.

Netun Lima
Netun Lima

Garis da SLU dão show na limpeza da cidade

Para fechar com chave de ouro os melhores momentos do Carnaval, não podemos deixar de falar dos garis da Superintendência de Limpeza Urbana (SLU). Os funcionários recolheram toneladas de lixo e deixaram a cidade bonita para a festa prosseguir. Veja a matéria completa AQUI.

Pessoas foram vistas urinando nas ruas, jogando lixo no chão e vandalizando patrimônios da cidade. Enquanto isso, a equipe de limpeza urbana, cujo trabalho especialmente durante a folia é reconhecido nacionalmente, se desdobrou para contornar a situação.

Após o desfile das escolas de samba de BH, na avenida Afonso Pena, na noite da segunda-feira de Carnaval, os garis entraram em ação. Muito aplaudidos, os funcionários da limpeza urbana deixaram tudo organizado após a folia.

Vitor Fernandes

Vitor Fernandes

Jornalista no Portal BHAZ

Comentários