Motorista se masturba diante de passageira durante corrida da 99 na Savassi

Reprodução/StreetView

Uma jovem de 19 anos foi alvo de uma ação criminosa protagonizada por um motorista da 99 POP durante corrida realizada nessa segunda-feira (11). Em um trecho da viagem, o homem fechou os vidros do carro e começou a se masturbar enquanto olhava para a passageira. O caso aconteceu na avenida do Contorno, próximo ao Shopping Pátio Savassi, em uma região movimentada da capital.

De acordo com a ocorrência, a mulher solicitou uma corrida partindo do bairro Nova Suíça, na região Oeste da capital, para o shopping. Segundo a vítima, durante o trajeto, já na avenida do Contorno, o motorista fechou os vidros e começou a se tocar.

A jovem ficou com medo e sem reação. Logo em seguida, desembarcou no centro de compras, seu destino final. Após isso, ela foi até a Delegacia de Plantão de Atendimento à Mulher, onde registrou a ocorrência.

A vítima ainda relatou que o motorista não finalizou a corrida e seguiu dirigindo pela região, sendo que o valor extra foi cobrado em seu cartão. Ela precisou ligar para a 99 POP para relatar o problema.

Em nota (confira na íntegra abaixo), a 99 POP lamentou o ocorrido e disse que o motorista foi banido da plataforma. “A 99 se solidariza com a vítima e está em contato com ela para prestar todo o apoio que for possível. A empresa também se encontra aberta a colaborar com a polícia”, ressalta a empresa.

O boletim de ocorrência foi registrado como “importunação ofensiva ao pudor consumada”. Contudo, a Lei 13.718/2018, aprovada pela Senado Federal em agosto do ano passado e sancionada em setembro pelo então presidente Michel Temer, substitui esse termo e considera o crime como “importunação sexual”, cuja pena é de 1 a 5 anos de prisão.

Nota da 99 POP na íntegra

A 99 informa que recebeu de uma passageira a grave denúncia envolvendo um motorista da plataforma. De acordo com ela, o caso ocorreu na tarde de segunda-feira, dia 11 de março, em Belo Horizonte (MG).

O perfil do condutor foi imediatamente bloqueado do aplicativo.

A 99 se solidariza com a vítima e está em contato com ela para prestar todo o apoio que for possível. A empresa também se encontra aberta a colaborar com a polícia.A companhia repudia essa e quaisquer outras ocorrências de violência, especialmente contra a mulher, e está trabalhando 24 horas por dia, 7 dias por semana, para colaborar com a segurança dos usuários e usuárias.

Rafael D'Oliveira
Rafael D'Oliveirarafael.doliveira@bhaz.com.br

Repórter do BHAZ desde janeiro de 2017. Formado em Jornalismo e com mais de cinco anos de experiência em coberturas políticas, econômicas e da editoria de Cidades. Pós-graduando em Poder Legislativo e Políticas Públicas na Escola Legislativa.