Home Notícias Brasil ‘Cena mais triste da minha vida’, diz João Doria, governador de SP, após visitar escola em Suzano

‘Cena mais triste da minha vida’, diz João Doria, governador de SP, após visitar escola em Suzano


“Estou muito impactado. É a cena mais triste que assisti em toda a minha vida”. Essas foram as primeiras palavras do governador de São Paulo, João Doria, minutos depois de chegar à Escola Estadual Raul Brasil, em Suzano, a 57 quilômetros da capital paulista, onde nessa quarta-feira (13), dois jovens invadiram o local e dispararam tiros para todos os lados.

“Estou consternado, chocado”, complementou Doria, informando prestar solidariedade às famílias das vítimas. Minutos depois de ter a informação sobre o massacre da Escola Raul Brasil, Doria cancelou a agenda e seguiu para o local com autoridades estaduais e municipais.

O governador informou que, após a tragédia na escola, em oito minutos a Polícia Militar estava no local. “Logo que a PM chegou ao local, conseguiu ter uma visão geral da situação, inclusive ouvir a diretora. Ela disse que, aparentemente, não foram ex-alunos da escola”, comentou Doria.

O Grupo de Ações Táticas Especiais (Gate) foi mobilizado na manhã de ontem para verificar pacotes suspeitos deixados pelos adolescentes
Guilherme Taucci, de 17 anos, e Luiz Henrique de Castro, de 25, que orquestraram o massacre na escola, e que podiam conter explosivos. Foi verificado que eram embrulhos falsos.

Ministro da Educação repudia massacre

O ministro da Educação, Ricardo Vélez, repudiou o massacre na Escola Estadual Professor Raul Brasil, em Suzano (SP). Em mensagem no Twitter, o ministro se solidarizou com as famílias das vítimas e disse que acompanhará os desdobramentos da tragédia.

“Recebo com muita tristeza a notícia de que crianças e um funcionário foram brutalmente assassinados na escola Prof. Raul Brasil, em Suzano, SP. Meus sentimentos às famílias. Expresso meu repúdio a essa manifestação de violência. Acompanharei de perto a apuração dos fatos”, disse o ministro na rede social.

O governador e as autoridades fizeram no início da tarde de ontem (13) uma segunda vistoria na escola.

Dez pessoas morreram no massacre, incluindo os dois atiradores. Há ainda feridos sendo atendidos em hospitais e clínicas da região.

Da Agência Brasil

Comentários