Home Uncategorized Ciclovia da Pampulha terá adequação para eliminar conflito entre bikes e automóveis

Ciclovia da Pampulha terá adequação para eliminar conflito entre bikes e automóveis

Sete quilômetros da já existente ciclovia na Orla da Pampulha passarão por alterações no trecho em que as bicicletas conflitam com a pista de rolamento usada por automóveis. O edital de licitação para a contratação de uma empresa que vai elaborar o projeto já está em andamento.

A Orla da Pampulha é um dos locais de maior demanda para a circulação de bicicletas da capital. Segundo a BHTrans, mesmo durante a semana e à noite, o espaço é muito usado pela população. O trecho que vai sofrer alterações é de sete quilômetros – entre a barragem até o Clube Belo Horizonte. Ali, a ciclovia está na mesma altura da faixa de rolamento.

“O objetivo é tornar o trânsito das bicicletas e dos carros, onde hoje há conflito, mais seguro. Por isso, as pistas não devem ficar no mesmo nível. Além da ciclovia, a área para pedestres vai ganhar novo tratamento”, diz o gerente de Planejamento da Mobilidade da BHTrans, Marco Antônio Silveira.

No entanto, os 11 quilômetros restantes da ciclovia da orla não estão contemplados no edital, como, por exemplo, para uma reforma ou manutenção.

500 metros ligarão ciclovia à Estação de Integração Pampulha

Outra novidade na Pampulha é um trecho de 500 metros que será construído para interligar a Estação de Integração Pampulha – que recebe 27 linhas alimentadoras e troncais – com a pista da orla, que tem 18 quilômetros no total.

“Esse trecho é bem importante para pessoas que usam ônibus do Vetor Norte e da Pampulha. São ciclistas ou ciclistas em potencial que usam muito o Move e podem usar a bicicleta para alguns trechos do seu percurso”, acrescenta o especialista da BHTrans.

Segundo ele, a ideia é oferecer cada vez mais alternativas ao cidadão para adotar práticas sustentáveis de mobilidade na cidade. “Uma pessoa que usa o sistema de transporte para o Vetor Norte, pode ir de casa até a Estação de Integração de bicicleta, estacioná-la no bicicletário e pegar seu ônibus”, explica Marco.

De acordo com o gerente da BHTrans, esta primeira fase, que é a elaboração do projeto, tem orçamento de R$ 185 mil e, as obras, devem custar, no máximo, R$ 600 mil.



Comentários