Home Notícias Política Governo de Minas dá calote em estagiários cortados de secretaria extinta e diz trabalhar para ‘normalizar pendências’

Governo de Minas dá calote em estagiários cortados de secretaria extinta e diz trabalhar para ‘normalizar pendências’

Cerca de 20 estagiários que trabalhavam na Secretaria de Estado de Cidades e Integração Regional (Secir) cobram do governador Romeu Zema (Novo) a bolsa-auxílio de R$ 786, referente ao mês de janeiro que não foi quitado por conta da dispensa. Os ex-estagiários cobram ainda valores referente a férias vencidas e a complementação de R$ 13,50, referente a vale transporte.

Os jovens estão revoltados, pois os funcionários públicos que trabalhavam na secretaria receberam normalmente, somente os estagiários não foram pagos. “Uma das maiores indignações é que são remunerações baixas, inferiores a um salário mínimo. Se analisarmos a folha de pagamento do Estado, a remuneração de um mês de um servidor, seria capaz de quitar mais que 50 % desses débitos”, diz um dos ex-estagiários que não quis ser identificado.

Outra reclamação do grupo é que o governador não realizou um processo seletivo na secretaria extinta, conforme, segundo o governo, vem sendo realizado em todas as secretarias. “Nós fomos dispensados sem nenhuma análise de currículo”, diz o ex-estagiários.

A reclamação do grupo de estagiários vem após o governador anunciar que tem dinheiro no caixa do Estado. Durante a semana, Romeu Zema causou polêmica ao anunciar que o governo tinha R$ 4 bilhões nos cofres, mesmo devendo mais de R$ 1 bilhão aos prefeitos mineiros, com parcelamento de salário dos servidores e 13º parcelado em até 11 meses.

Questionado sobre o pagamento do salário atrasado aos ex-estagiários, as férias vencidas e a complementação de transporte, o governo respondeu que busca soluções para o problema. “A secretaria está trabalhando para que as pendências com os estagiários da Secir sejam normalizadas o mais rápido possível”, diz a nota.

Comentários