Home Notícias BH Estudante ameaça ataque em escola na Zona Sul de BH: ‘Segunda tem’

Estudante ameaça ataque em escola na Zona Sul de BH: ‘Segunda tem’

A Polícia Civil de Minas Gerais cumpriu mandado de busca e apreensão na casa de um jovem de 18 anos que divulgou na web um possível ataque à Escola Estadual Professor Leopoldo de Miranda, no bairro Santo Antônio, região Centro-Sul de Belo Horizonte. O mandado foi cumprido, nesse domingo (17).

A publicação, com tom de ameaça, foi realizada dois dias após o ataque em uma escola de Suzano, no interior de São Paulo, que deixou 10 mortos. Professores e funcionários retornaram às atividades nesta segunda-feira (18), (veja abaixo).

O estudante mineiro postou na web: “Leopoldo de Miranda, segunda tem”. Os policiais apreenderam, na casa do rapaz, duas réplicas de arma de fogo e uma faca que supostamente seriam utilizadas no ataque. Também foram recolhidos uma CPU do computador do jovem, um pen drive, celular e a caderneta escolar.

Apesar da ameaça de ataque, a secretaria da Escola Leopoldo de Miranda informou ao BHAZ que a presença dos alunos foi normal nesta segunda. Procurada pela reportagem, a Secretaria de Estado de Educação (SEE) informou que “está ciente e acompanha a situação”.

Material apreendido na casa do estudante (Reprodução/WhatsApp)

A Patrulha Escolar foi intensificada na sexta-feira, data da publicação da mensagem do jovem, para “garantir a segurança na porta e proximidades”, conforme informou a SEE. Por decisão dos pais, o aluno foi transferido de escola e, segundo a direção, ele “se arrependeu do episódio” e disse que foi uma “brincadeira de mau gosto”.

Na semana passada, situação similar ocorreu com aluno de uma escola no bairro Horto, na capital. Ele fez menção a uma ameaça a sua sala de aula, com post nas redes sociais, mas depois que a Polícia Militar chegou até ele, alegou ser uma brincadeira de mau gosto.

A nota enviada pela SEE pode ser lida na íntegra final da matéria.

Escola em Suzano é reaberta para planejar acolhimento de alunos

A Escola Estadual Raul Brasil, em Suzano (SP), foi reaberta hoje (18) apenas para professores e funcionários. O funcionamento está suspenso desde a última quarta-feira (13), quando dois ex-alunos, de 17 e 25 anos, entraram na escola encapuzados e armados, promovendo um ataque que resultou na morte de oito pessoas. Os atiradores também morreram na ação.

Nesta segunda-feira, será traçado um planejamento com atividades de acolhimento e preparação psicológica para os alunos, que retornarão amanhã (19). Ainda não há data para o reinício das aulas.

De acordo com a Secretaria Estadual de Educação, o planejamento dessas atividades contará com o apoio de profissionais do Instituto de Psicologia da Universidade de São Paulo (USP), da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), dos centros de Atenção Psicossocial (Capes) da prefeitura de Suzano, além de outras secretarias do governo do estado.

A proposta para o acolhimento é desenvolver atividades livres, como oficinas, terapias em grupos, rodas de conversa, depoimentos, compartilhamento de boas práticas, entre outras.

Segundo o governo estadual, uma rede de apoio, formada por instituições públicas e privadas, atuou no fim de semana, prestando atendimento psicológico e especializado na Diretoria Regional de Ensino de Suzano e no Capes do município, além de visitas domiciliares às famílias das vítimas.

Nota da SEE

A Secretaria de Estado de Educação (SEE) informa que está ciente e acompanha a situação que envolve uma ameaça feita por um aluno da Escola Estadual Professor Leopoldo de Miranda nas redes sociais, na sexta-feira (15/03). Imediatamente, a direção da escola tomou todas as providências necessárias e o caso está sendo investigado pela Polícia Civil. Na sexta-feira a direção já tinha acionado a Polícia Militar para registrar boletim de ocorrência e intensificar a Patrulha Escolar, para garantir segurança na porta e proximidades da unidade de ensino.   

A direção da escola informou que o aluno reconheceu que a postagem foi uma brincadeira de mau gosto e se arrependeu do episódio. O aluno, que é maior de idade, não tem histórico de transtornos na escola, mas devido aos fatos, os pais já solicitaram a transferência para outra unidade. As aulas na Escola Estadual Professor Leopoldo de Miranda ocorrem normalmente, nesta segunda-feira (18/03).

A SEE esclarece, ainda, que está em constante diálogo com as instituições de ensino para prestar a assistência necessária e realizar atividades para prevenir situações de violência no ambiente escolar e conscientizar sobre a importância do reconhecimento e da valorização das diferenças e das diversidades e possibilitar, por meio de estratégias pedagógicas preventivas, a boa convivência entre alunos, professores, gestores, funcionários e demais membros da comunidade escolar.

Com Agência Brasil

Vitor Fórneas

Vitor Fórneas

Jornalista no Portal Bhaz

Comentários